Ambiente realiza fiscalização em praias e na Lagoa de Imboassica

406
Apreensão de rede de Pesca no Mirante da Lagoa

Preservar o ecossistema da Lagoa de Imboassica e tartarugas marinhas. Esse é o objetivo da Coordenadoria de Fauna da Secretaria de Ambiente e Sustentabilidade (Sema), no trabalho de fiscalização do litoral e da lagoa. Junto com o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e a Guarda Ambiental da Secretaria de Ordem Pública, esse órgão promove supervisionamento das praias da Barra até a Campista e na Lagoa de Imboassica.

No litoral, o trabalho é realizado para evitar mortandade de tartarugas marinhas. São retiradas redes a menos de 200 metros da costa instaladas irregularmente. “Sempre resgatamos muitas tartarugas marinhas mortas ou sufocadas por estarem presas em redes. Com ajuda da base macaense do Centro de Tratamento de Animais Marinhos (CTA), tartarugas estão sendo salvas”, pontua o coordenador de Fauna da Sema, Fernando Barreto.

Na Lagoa de Imboassica, a fiscalização ocorre para evitar pesca no período do defeso: de novembro a fevereiro. Durante todo o ano, também busca-se coibir que sejam instaladas redes com malha inferior a 40 milímetros e feitas pescas de arrasto. Pescar na lagoa só é permitido entre 18h e 6h.

Fernando conta que quaisquer animais marinhos resgatados nas praias da cidade devem ser entregues à Sema ou ao Inea. “No mar ainda recebemos apoio da Marinha do Brasil, em cujo barco fazemos as ações fiscalizadoras”, conta, acrescentando que a punição leva mais consciência aos pescadores.

As multas, aplicadas pelo Inea ,custam aos pescadores valores que vão de R$ 800 a R$ 5 mil, dependendo da gravidade da ação contra o ambiente. Para contatos e denúncias, os telefones são 2772-3571 (Setor de Fauna da Sema), 0800-0262828 (CTA),  99701-9770 (Guarda Ambiental) e 2765-5303 (Inea).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here