Estudantes de Biologia conheceram o processo de tratamento de esgoto e ações ligadas à Lagoa de Imboassica promovidas pela concessionária

O saneamento básico é fundamental na garantia da preservação ambiental e da saúde de todos. E pensando nas estratégias para que no futuro este seja um direito que beneficie a todos, os alunos do curso de Biologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) participaram, no último fim de semana, de uma edição especial do programa Portas Abertas, promovido pela BRK Ambiental.

Além de uma palestra realizada no Núcleo em Ecologia e Desenvolvimento Socioambiental de Macaé (NUPEM/UFRJ) sobre a operação e tratamento de esgoto no município e da visita à Estação de Tratamento do Mutum, os estudantes ainda tiveram a chance de conhecer as ações ligadas à Lagoa de Imboassica promovidas pela concessionária.

Com a apresentação e a visita guiada, os estudante puderam conhecer mais sobre as estações de tratamento, do trabalho de conscientização sobre a importância da ligação da rede doméstica a rede pública de esgoto, das normas que regem os serviços prestados pela empresa e o trabalho de auxílio aos órgãos fiscalizadores para garantir um saneamento de qualidade.

Além de assistirem à apresentação, ao final, os estudantes e professores também puderam fazer perguntas sobre o tema. De acordo com eles, foi uma boa oportunidade para debater o papel do tratamento de esgoto doméstico na qualidade da água, em especial, na preservação da Lagoa de Imboassica.

“Este é um tema muito relevante, pois tentar entender a Lagoa é algo muito complexo, assim como desenvolver novas tecnologias que possam auxiliar neste processo de preservação. Por isso todas as estratégias colocadas são fundamentais neste processo”, pontuou o aluno Téo Aroeira, lembrando que o NUPEM possui diversos trabalhos e teses voltados ao tema.

Inclusive, o desenvolvimento de novos projetos por meio de parcerias como a do NUPEM, sempre na busca da melhoria dos corpos hídricos da cidade, também foram pontos discutidos durante o encontro: “No NUPEM fazemos todos os tipos de estudos relacionados à Lagoa de Imboassica. Temos teses e mais teses sobre ela. O lançamento de esgoto in natura é um problema, mas são muitos os desafios a superar. Por isso parcerias com empresas como a BRK são sempre bem-vindas”, complementou o professor Francisco Esteves.

Para o diretor da BRK Ambiental Macaé, parcerias com o NUPEM podem contribuir para que o trabalho vá além da contribuição pelo tratamento de esgoto para a despoluição e a preservação efetiva da Lagoa de Imboassica: “Entendemos que a despoluição da lagoa depende de outros fatores além do tratamento de esgoto realizado pela BRK. E estamos sempre abertos a estabelecer parcerias que resultem na melhora do meio ambiente e da vida das pessoas, o que é o grande objetivo do nosso trabalho”, finalizou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here