Dr. Aldo deixa registrado a sua enorme preocupação com o avanço de inúmeras doenças por negligência de vacinação -Divulgação

Neste tempo de pandemia, inúmeras pessoas não estão em dia com o calendário de vacinação por medo de sair de casa

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), milhões de brasileiros deixaram de se vacinar e imunizar as crianças, com receio de sair de casa devido ao medo da COVID-19. Neste contexto, mais de 50% das crianças e jovens brasileiros não estão em dia com calendário de vacinação. Em Macaé não é diferente. Existe a mesma preocupação do poder público, que realiza a campanha de vacinação contra a poliomielite e multivacinação, que segue até dia 30 de outubro.

O médico Pediatra Dr. Aldo Luiz Cardoso Balbi, referênca em Imunizações, deixa registrada a sua enorme preocupação com o avanço de inúmeras doenças por negligência de vacinação, neste momento de pandemia. “Não temos ainda vacina contra a COVID, verdade que gostaríamos muito de ter, mas temos vacinas contra doenças graves, como meningites, pneumonia, catapora, coqueluche, tétano, difteria, entre tantas e outras, e o descuido com a vacinação pode impactar negativamente a nossa saúde”, declarou Dr. Aldo.
O médico lembrou que a OMS faz um alerta por conta da descontinuidade das vacinas rotineiras, em que 80 milhões de crianças estarão em risco no planeta.

“A covid não está sozinha, e 2020, durante a pandemia no país, foram registrados 3.600 casos de sarampo, a febre amarela continua tendo casos no sul do país e também alguns no Norte. Nos últimos 12 meses, foram registrados 600 casos de pólio no mundo, essa doença está praticamente erradicada no nosso país há muitos anos, e se não conseguirmos manter uma cobertura vacinal de 95%, a Pólio também pode voltar como voltou o sarampo”, frisou.

E concluiu: “Precisamos vacinar crianças, adolescentes, adultos e idosos e pessoas que precisam de uma atenção especial, que vivem com doença crônica. A vacinação é nosso lema, visando diminuir o risco de contágio da doença tanto entre os trabalhadores da saúde como da população em geral.”

De fato a situação já era preocupante em 2019, quando nenhuma vacina alcançou a meta, e especialistas dizem que situação é ‘dramática’. O Governo já informou que planeja campanhas. Estar em dia com vacinas como da Gripe, Sarampo, Poliomieliete, Febre Amarela, Meningite, Coqueluche e Hepatites A e B, é a forma mais eficaz de se prevenir. Tomando esta decisão reduz o risco de contrair dezenas de doenças infecciosas graves e que podem comprometer a saúde de toda a família.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here