A nova pista do Aeroporto de Macaé já está totalmente concluída e sinalizada - Divulgação

Advocacia Geral da União vai participar da audiência para decidir sobre pedido do governo do Espírito Santo para tirar Macaé do edital de licitação

A decisão do juiz federal Aylton Bonomo Junior, da 3ª Vara Federal de Vitória (ES), que adiou para o dia 29 de janeiro, a audiência que deveria ser realizada semana passada, para decidir sobre o pedido de liminar em que o ex-governador do Estado do Espirito Santo, Paulo Hartung, havia pedido para retirar o Aeroporto de Macaé, do processo de licitação, junto com o aeroporto de Vitória, deixou tranquilos os membros das instituições macaenses que vêm há vários anos lutando para manter neste município uma infraestrutura capaz de atender a demanda da classe empresarial, ligada ao ramo da indústria de petróleo e gás, e também do turismo.

A solicitação do adiamento foi feita pela Advocacia Geral da União (CGU), que deverá estar presente à audiência, no processo em que o ex-governador capixaba move contra a ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil, questionada desde o primeiro momento em que ficou decidido que o Aeroporto de Macaé, junto com o de Vitória, estaria fazendo parte do Bloco Sudeste.


Para o grupo de empresários que atuam para modernizar o aeroporto de Macaé, que além da reforma da pista, já havia reivindicado a construção da Estação de Passageiros, com 11 mil metros quadrados e sendo considerada uma das maiores dos aeroportos situados no interior, um dos diretores de assuntos corporativos que esteve em visita técnica ao aeroporto de Macaé e depois participou de reunião para tratar outros assuntos relacionados, o movimento do governo capixaba não foi visto com tanta preocupação, uma vez que eles já tentaram duas ou três vezes, tanto no TCU quando no Judiciário, e perderam em todas as tentativas.

Para o grupo, “todo o processo relacionado à concessão dos blocos de aeroportos acontecerá conforme previsto pelo governo federal. Todos os trâmites e datas do processo até agora foram cumpridos e não vejo que a vontade do governo capixaba em interromper esse processo obterá sucesso”, disse um dos membros.

Mesmo já informados de que o transcurso da audiência será voltado para uma decisão que interessa ao governo federal, e acreditando na decisão favorável de manter Macaé no bloco de concessões, um grupo de empresários pretende comparecer a Vitória e acompanhar de perto o desenrolar do processo, até a etapa final que tem como objetivo beneficiar o município de Macaé.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here