Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Problemas antigos continuam gerando transtornos no Jardim Vitória

Na lista de reclamações dos moradores estão a limpeza, a falta de área de lazer e saneamento básico

Em 30/10/2017 às 12h01


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Limpeza é uma das coisas que ainda precisam melhorar no bairro Limpeza é uma das coisas que ainda precisam melhorar no bairro
Uma das localidades mais visitadas pela equipe de Bairros em Debate nos últimos anos é o loteamento Jardim Vitória (I e II). Considerada uma área nobre, por trás de ruas tranquilas e casas de alto padrão escondem-se vários problemas.
Por mais que a população venha denunciando, pouca coisa de fato mudou nesse tempo, segundo relatam os moradores. Ao longo das reportagens publicadas, promessas foram feitas, mas nem tudo que foi dito foi de fato cumprido.

Pelo contrário. Os moradores alegam que muitos problemas foram surgindo e outros se agravaram. Um deles é a questão do famoso lixão, que já se tornou uma característica do bairro. A fama tem gerado vergonha para quem vive ali, que reclama que o problema é resultado da falta de fiscalização. 

"Eles já fizeram de tudo aqui e nada dá jeito. Já cercaram os terrenos e as pessoas arrumaram um jeito de invadir e jogar o lixo ali. Nesse tempo outras áreas também começaram a ser alvo do descarte irregular de materiais de obra, móveis, lixo de empresas, manilhas, carros abandonados e até animais mortos. É um horror. Só quem mora perto sabe os transtornos que isso causa. O pior é que não é o morador, mas sim gente de fora. Dia e noite, não importa o horário, sempre aparece um carroceiro, um carro aqui despejando o lixo. Eles não têm vergonha pois sabem que dificilmente irão encontrar alguém da prefeitura para fiscalizar", diz o morador João Paulo. 


Ele relata que a limpeza já chegou a ser feita, no entanto, a alegria durou pouco tempo. "Há poucos dias veio uma equipe, recolheu e limpou tudo. Depois de muitos pedidos nossos, finalmente atenderam. Mas, infelizmente, poucas horas depois estava tudo sujo novamente. Não sabemos mais o que fazer. O bairro está tomado por baratas, cobras e até ratos. Está realmente preocupante", relata. 

BRK diz que obras foram concluídas 

Um dos problemas no bairro é o esgoto. Nos últimos meses, a localidade passou a ter a sua rotina alterada por conta das obras da BRK Ambiental, que vem implantando a rede de saneamento que, segundo ela, irá destinar os efluentes para a ETE Central, situada na Linha Verde.

Apesar de obras concluídas, lançamentos de esgoto ainda são vistos no local 


No entanto, apesar disso, dejetos continuam sendo lançados in natura em um córrego que liga ao Canal do Capote. Essa denúncia já vem sendo feita pelo jornal há mais de um ano e, segundo os moradores, continua acontecendo até hoje.

"O esgoto ainda está sendo despejado, causando um forte mau cheiro. Paralelo a isso, o canteiro de obras a poucos metros está vazio. Retiraram as máquinas, equipamentos e os funcionários não são mais vistos ali. Acredito que tenham concluído os serviços aqui, apesar da contenção ainda estar no local. Mas a questão é: foi finalizado? Se a resposta for sim, por que os dejetos ainda estão sendo lançados nos recursos hídricos?", questiona uma moradora da Rua Athos Duboc.

Segundo a BRK Ambiental, as obras de implantação das estações elevatórias (centrais de bombeamento) de esgoto foram concluídas, restando somente a liberação da área necessária à implantação da linha de recalque (rede pressurizada), que interligará a rede de esgoto do bairro à Estação de Tratamento Centro, para iniciar a operação do sistema de coleta. 
A empresa explica que a liberação de área em questão está sob análise da Prefeitura de Macaé.

Sobre as interligações de esgoto irregular, a concessionária esclareceu que realizou a inspeção da rede com objetivo de verificar as ligações clandestinas. A eliminação de eventuais pontos poluidores é de responsabilidade do loteador e dos proprietários dos lotes, cabendo ao poder público a sua fiscalização. 

O infrator pode receber multa e ter a sua obra embargada. O cidadão também pode realizar denuncias por meio da Secretaria de Obras, no telefone (22) 2757-6000.
Já a Prefeitura de Macaé informa que aguarda um pedido de autorização, que está em análise na Petrobras, para passar o recalque na servidão da estatal. 

Moradores cobram cobertura em pontos

Na teoria, utilizar o transporte público traz benefícios para o meio ambiente e melhora a questão da mobilidade urbana, uma vez que há redução de veículos nas ruas da cidade. Mas na prática, a falta de infraestrutura ainda deixa muitos cidadãos insatisfeitos. 

Quem depende desse meio para se locomover pela cidade diz que os transtornos muitas vezes começam bem antes de pegar o ônibus. A falta de pontos de ônibus adequados vem sendo alvo de reclamações dos cidadãos não é de hoje. Enquanto a prefeitura desperdiça dinheiro em "terminais integrados", na Praça Veríssimo de Melo, no Centro, que não tem muita funcionalidade para os cidadãos, em outros bairros a população não conta nem com o básico de infraestrutura. 

Moradores improvisaram banco em ponto de ônibus na Rua Athos Duboc 


Isso tem acontecido no Jardim Vitória. Um dos locais fica na Rua Athos Duboc. "Em agosto a prefeitura informou que iria enviar uma equipe da secretaria de Mobilidade Urbana até o local para verificar a possibilidade de instalação do abrigo de ônibus, mas até hoje nada. As pessoas continuam esperando debaixo de sol e chuva, se revezando no banquinho improvisado pelos próprios moradores", reclama 

Loteamentos não contam com áreas de lazer

Quando se trata de lazer, que é um direito de cada cidadão, os loteamentos Jardim Vitória I e II deixam muito a desejar. A população ressalta a inexistência de praças. Enquanto isso, crianças e jovens brincam pelas ruas, situação que pode ser perigosa, dependendo do lugar.

"Criança aqui tem que ficar dentro de casa, porque não tem nenhuma opção para elas no bairro. Não temos lazer", desabafa Sílvio Bisneto. 

Em 2015, a prefeitura disse que ainda estava fazendo um levantamento das demandas em toda a cidade. Quando o estudo fosse finalizado e os processos licitatórios concluídos, as obras começariam a ser feitas, beneficiando diversas áreas do município, inclusive o Jardim Vitória. Passou o tempo e a promessa não foi cumprida. 

O que diz a prefeitura

Procurada, a prefeitura informou que, segundo a secretaria de Obras, não há projeto para construção de uma área de lazer no bairro Jardim Vitória.

Quanto à cobertura nos pontos de ônibus, a secretaria de Mobilidade Urbana estaria realizando um levantamento para a compra de 100 abrigos, que serão instalados por toda cidade, inclusive, no local em questão. Já o problema de zoonoses, o CCZ disse que realiza vistorias e ações de manutenção constantemente. Está programada uma ação no bairro Jardim Vitória para a próxima semana. Para solicitações de visitas ou dúvidas, o cidadão pode entrar em contato com o CCZ, pelo telefone 0800-0226461 ou pelo email cczmacae@yahoo.com.br.

Referente aos relatos de aparições de cobras, a secretaria de Ambiente vai programar uma vistoria ainda nesta semana. Para informações como essas, o cidadão pode se dirigir à Secretaria de Ambiente, localizada na Avenida Rui Barbosa, 1725 - Altos dos Cajueiros Loja 26. Telefones de contatos: (22) 2772-3571, (22)2772-3377 e (22)2772-1810. Email: sema@macae.rj.gov.br

Autor: Marianna Fontes marifontes@odebateon.com.br

Foto: Sylvio Savino


    Compartilhe:

Tags: bairros em debate


publicidade