Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Projeto para saneamento no São José do Barreto está em estudo

Essa informação foi passada pela Prefeitura na última semana em resposta ao "Bairros em Debate"

Em 27/09/2017 às 15h42


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Enquanto o projeto de saneamento segue em fase de estudos, o esgoto continua sendo lançado no Canal Campos-Macaé Enquanto o projeto de saneamento segue em fase de estudos, o esgoto continua sendo lançado no Canal Campos-Macaé
Na edição de sábado do Jornal, o Bairros em Debate relatou os problemas apresentados pelos moradores que residem no São José do Barreto, dentre eles, falta de saneamento, de pavimentação, área de lazer e muitos outros. Em resposta à redação do Jornal, por meio de nota fomos informados que os números mostram que Macaé vem avançando nos últimos anos na questão do tratamento do esgoto. Hoje, segundo o órgão, o município trata 190 litros de esgoto por segundo (l/s), atendendo a uma população de cerca de 120 mil pessoas.

Ainda segundo o órgão, de acordo com dados do IBGE, Macaé trata 69% do esgoto produzido e o índice de saneamento está, ainda, abaixo da média do Estado do Rio, que é de 78,6%, mas não pode ser considerado baixo tendo em vista a relevância das ações na área. O sistema de esgotamento sanitário de Macaé estava inoperante e o município saiu de 0%, em 2013, para os 69% atuais, em apenas quatro anos e nove meses da administração municipal. O tratamento do esgoto é reconhecido como prioridade para a atual gestão e vem avançando com planejamento, projetos e cronogramas/metas. Em se tratando do bairro São José do Barreto, parte deste é atendido pela coleta e tratamento de esgoto no município. O projeto para que seja realizado o saneamento integral do bairro está em fase de estudo.

Sobre a falta de área de lazer a Prefeitura disse que os trabalhos para restauração da quadra do Barreto começaram na sexta-feira (22). A ação conta com cinco profissionais, uma máquina e um caminhão. O prazo para término do serviço é de oito a dez dias. Além da ação que visa restaurar os alambrados, a remodelação da praça do Barreto está em estudo. O objetivo da prefeitura é que o espaço siga os padrões das demais praças do município já remodeladas. A previsão é que até dezembro a ação seja concluída. 

Sobre a falta de água, a Prefeitura informa que a responsabilidade é da Cedae. Já com relação à falta de saneamento, a resposta foi que a pavimentação depende da conclusão dos trabalhos de saneamento.

Com relação a Iluminação precária no bairro, o que, segundo moradores, tem contribuído para assaltos, o órgão disse que a Coordenadoria de Iluminação Pública, ligada à Secretaria Adjunta de Serviços Públicos, informou que foi até o bairro São José do Barreto, na quarta-feira (20), com uma equipe técnica para analisar a situação e realizar os reparos necessários. "A Coordenadoria destaca que o trabalho de manutenção é contínuo. Para solicitação de reparos é fundamental que a população entre em contato pelo número 156.

O serviço funciona das 9h às 20h, de segunda a sexta-feira e das 9h às 18h, aos sábados. A ligação é gratuita quando realizada de um telefone fixo. Também está disponível o número (22) 99979-5226, que funciona como atendimento de demandas via WhatsApp".

A Prefeitura informou também que o projeto para saneamento do bairro São José do Barreto, como um todo, está em estudo. "No entanto, é importante destacar que, ao contrário de abandono como citado pelos moradores, na parte do bairro que margeia a orla, ocorreu a criação do Parque Natural Municipal da Restinga do Barreto, o segundo maior das Américas, em área exclusivamente de restinga, ficando atrás, apenas, do Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba. A criação se deu através do decreto de número 139/2016, e tem base no artigo 27 do Código Municipal de Meio Ambiente, Lei complementar 027/2001 e Lei Federal 9.985/2002. Uma base da Secretaria de Ambiente é mantida no parque, que recebe visitação de segunda a sexta-feira", disse.

Já sobre os ruídos provocados pelas empresas instaladas no bairro assim como poluição sonora e do próprio ambiente, o órgão disse que as denúncias devem ser encaminhadas à Secretaria de Ambiente Sustentabilidade: Av. Rui Barbosa, 1725 - Alto dos Cajueiros, Loja 26, Telefones: (22)2772-3571 / (22)2772-3597 / (22)2772-1810 / (22) 2772-3377 e também pelo email  sema@macae.rj.gov.br. O horário de atendimento é das 8h às 17h. 

Autor: Juliane Reis juliane@odebateon.com.br

Foto: Kaná Manhães


    Compartilhe:

Tags: geral


publicidade