Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Lazer lidera lista de prioridades na Vila Badejo

Sem receber a manutenção há anos, moradores voltam a cobrar do poder público a reforma da praça

Em 28/08/2017 às 11h51


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Alambrado de campo ameaça cair há mais de um ano. Mais uma prova do abandono do poder público Alambrado de campo ameaça cair há mais de um ano. Mais uma prova do abandono do poder público
Há cerca de quatro meses, a equipe de Bairros em Debate esteve na Vila Badejo mostrando os problemas que vêm se acumulando ao longo dos últimos anos por conta do abandono do poder público. Sem muitas expectativas de dias melhores, essa semana os moradores pediram a nossa visita novamente para mostrar que pouca coisa mudou desde então. 

Sem saber mais a quem recorrer, a população espera que o apelo feito por meio do jornal sensibilize as autoridades, que têm deixado de cumprir o seu papel. Apesar dos impostos pagos anualmente, pouca coisa vem sendo feita para melhorar a qualidade de vida de quem mora ali. 

Atualmente, cerca de cinco mil famílias vivem nessa área, que tem belas casas e vias asfaltadas. Porém, por trás das pacatas ruas do bairro, se escondem alguns problemas que acabam deixando a população insatisfeita com as condições de vida do local. 

A Vila Badejo é, hoje em dia, considerada uma extensão do bairro Parque Aeroporto. Apesar de pequena, ela já conquistou características dignas de um grande bairro. Contudo, por estar em pleno crescimento, os problemas estruturais que existem em qualquer bairro de uma grande cidade são inevitáveis de acontecer. 

Entre as prioridades, está a reforma da praça que, inclusive, foi pauta de uma reportagem essa semana. 

Área de lazer segue abandonada 

A reforma da praça do bairro vem sendo cobrada há anos. O assunto foi, inclusive, pauta de várias reportagens ao longo de 2016. Desde então, nenhuma providência foi tomada, situação que tem deixado os moradores indignados.

Brinquedos quebrados, carpete solto e sujeira retratam realidade do parquinho

Essa semana, o presidente da Associação do bairro, Araken Correia Sabino, entrou novamente em contato com a nossa equipe de reportagem para denunciar a situação do local, que também serve de área de lazer para bairros vizinhos, como São José do Barreto, Barramares e Barrasul. 

"São anos cobrando e nada se resolveu até hoje. Isso aqui está uma vergonha", lamenta. Segundo ele, um dos pontos mais críticos é o campo de futebol. "A areia está contaminada. Muitos frequentadores estão com problemas de saúde pelo contato. Tem que trocá-la ou fazer a substituição por cimento ou grama sintética", relata. 

Uma das maiores preocupações ali é a situação do alambrado do campo. Devido à falta de manutenção e ação do tempo, parte dele chegou a cair, sendo substituído por um novo. No entanto, a estrutura do outro lado foi mantida e, agora, ameaça tombar em cima de transeuntes. O ferro já está todo corroído e escorado por uma árvore. 

Mas não é só o campo que compromete a segurança das crianças. O parquinho, que foi inaugurado em 2009, também precisa de uma atenção do poder público. Esse é um dos últimos no município que ainda tem brinquedos de fibra.


"Antes eu fechava à noite o parquinho para manter, mas uma moradora foi em uma página nas redes sociais me atacar. Diante disso, resolvi deixar para lá e não fecho mais. O resultado é que estão entrada de madrugada para usar drogas aqui dentro, depredando tudo e, o pior, até fazendo as necessidades aqui. Está cada dia pior. Brinquedos quebrados, carpete solto, muita sujeira. Está ficando de uma maneira que não dá mais. A prefeitura não toma providências", reclama.

A nossa equipe entrou em contato com a prefeitura para saber se existe algum projeto de reforma do espaço e se a praça está inclusa no seu cronograma de limpeza. No entanto, até o encerramento desta edição a secretaria de Comunicação não se pronunciou sobre o caso.

Iluminação pública insuficiente

A falta de iluminação pública acarreta em vários transtornos para a população. O problema vem sendo alvo de reclamações dos moradores da Vila Badejo e adjacências desde o início do ano passado. Segundo a população, a escuridão tem favorecido a prática de assaltos no bairro, o que tem deixado os moradores com medo.

Moradores solicitam troca de lâmpadas queimadas 


Na época, a prefeitura informou que a Empresa de Iluminação Pública iria enviar uma equipe ao bairro para verificar as necessidades e fazer a manutenção, no entanto, ao que tudo indica, a promessa não foi totalmente cumprida e a população segue insatisfeita com o poder público. 

"Melhorou em algumas partes, mas outras ainda não foram contempladas. Quando a gente procura a prefeitura, alegam que não tem lâmpada para trocar. Até isso está difícil conseguir. Na porta da minha casa estou há mais de um mês solicitando a substituição e nada. Enquanto isso, a gente continua pagando taxa na conta todos os meses", diz Araken. 

Manutenção das ruas é paliativa

Se tem uma coisa que avançou na Vila Badejo desde a última visita foi a questão dos buracos. Nos últimos meses a prefeitura realizou o serviço de recapeamento das ruas internas do bairro. 

Via principal foi a única não contemplada com serviço de recapeamento no bairro 


Mas se por um lado o novo asfalto melhorou o acesso dos moradores, por outro, a falta de conclusão do serviço deixou os moradores indignados. Isso porque a via principal, que beira o Canal Macaé-Campos, não foi contemplada com o serviço. 

"Asfaltaram as ruas internas, mas e o resto? Quando pretendem fazer? A entrada do bairro está buraco puro, causando prejuízos aos moradores. Esperamos que eles venham e finalizem o serviço", cobra o presidente.

Paralelo a isso, houve mudanças no trânsito do bairro. Desde que a sinalização foi feita, a população passou a contar com sentidos únicos nas ruas internas. "O problema é que muitas pessoas não respeitam ainda. Toda hora a gente presencia veículos na contramão, inclusive da prefeitura", denuncia. 

O que diz a prefeitura

Segundo a prefeitura, a secretaria de Infraestrutura informou que os trabalhos para conclusão do asfalto, na beira do canal, começam na próxima semana. Já a troca de lâmpadas, ela diz que o serviço  para colocação de lâmpadas está funcionando normalmente. Para solicitação de reparos é fundamental que a população entre em contato pelo número 156.

O serviço funciona das 9h às 20h, de segunda a sexta-feira, e das 9h às 18h, aos sábados. A ligação é gratuita quando realizada de um telefone fixo. Também está disponível o número (22) 99979-5226, que funciona como atendimento de demandas via WhatsApp.

Autor: Marianna Fontes marifontes@odebateon.com.br

Foto: Marianna Fontes


    Compartilhe:

Tags: bairros em debate


publicidade