Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Bacia de Campos é a fonte da retomada da indústria offshore

Revitalização de campos maduros passará pela região 'gênese' do petróleo nacional

Em 23/06/2017 às 16h03


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Discurso da Petrobras na Brasil Offshore acende novas expectativas para a restruturação do mercado do petróleo no país Discurso da Petrobras na Brasil Offshore acende novas expectativas para a restruturação do mercado do petróleo no país
Com o potencial de produzir 64% de todo óleo bruto extraído pela Petrobras no Brasil, a Bacia de Campos surge como a principal fonte de retomada da indústria offshore, através da consolidação da nova proposta capaz de garantir de forma rápida e eficiente a criação de novas oportunidades de negócios, aproveitando o processo que está consolidado há quatro décadas.

No ano de comemoração dos 40 anos de produção da maior área de reserva de óleo e gás do país, a Bacia de Campos fortalece a sua essência de gerar riquezas para o país, de alavancar o desenvolvimento do Estado, e de efetivar o progresso que transformou Macaé, em Princesinha do Atlântico, ao longo dos últimos anos.

E essa importância foi destacada pela própria Petrobras, que aproveitou a Brasil Offshore para anunciar ações importantes para revitalizar a produção da Bacia de Campos, hoje a mais importante do país.

Além de anunciar o início da produção nos campos de Tartaruga Verde e Tartaruga Mestiça, a Petrobras desenvolve ações para conclusão das atividades do plano de análise de descoberta do reservatório de Forno, localizado no pré-sal da concessão de Albacora, também situado na Bacia de Campos.

A companhia anunciou a autorização de extensão do contrato de concessão dos campos de Marlim e Voador até 2052, o que significa a continuidade de produção de milhares de barris de petróleo nas maiores e mais importantes reservas de petróleo do país.

"Isto abre para a Petrobras oportunidade de novos investimentos nessa importante área de produção offshore. Continuaremos a contar com a parceria de fornecedores, força de trabalho e poder público, o que foi fundamental para chegarmos até aqui", ressaltou Marcelo Batalha, gerente geral da Unidade de Operações da Bacia de Campos (UO-BC).

Além das novidades anunciadas pela Petrobras, a Bacia de Campos é também o foco central da proposta apresentada pela indústria para garantir a retomada imediata de negócios do setor.

Por concentrar os principais campos em operação do país, a Bacia de Campos pode ser a central da aplicação do modelo de compartilhamento de produção, através da revitalização dos campos maduros.

Essa novidade foi trazida para a Brasil Offshore através da Associação Brasileira das Empresas de Serviços do Petróleo (Abespetro), que acredita na integração entre a Petrobras, outras grandes operadoras de petróleo no mundo e a cadeia de fornecedores, como forma de garantir a retomada de negócios do setor. 

A proposta é que, com investimentos compartilhados, o fator de produção dos campos maduros seja ampliado. O lucro gerado pela extração do óleo, também seria partilhado entre as empresas envolvidas.

Como possui a concessão dos principais campos maduros, a Petrobras também precisa abraçar essa proposta.

Autor: Márcio Siqueira marcio@odebateon.com.br

Foto: Wanderley Gil


    Compartilhe:

Tags: política


publicidade