Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Mata Atlântica: Trilha acessível para deficientes completa três anos

Pioneira no país, Rebio União permite uma experiência única para pessoas com limitações

Em 06/06/2016 às 10h56


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte


Mais de 3 mil pessoas tiveram a oportunidade de conhecer a única trilha acessível para deficientes do país 


Considerado um dos maiores remanescentes de Mata Atlântica do estado, a Reserva Biológica da União, que corta os municípios de Macaé, Rio das Ostras e Casimiro de Abreu, deu um grande passo ao criar a primeira trilha acessível para pessoas com deficiência, que completa três anos neste mês.

Essa iniciativa, que é pioneira na região, é fruto de uma parceria firmada entre o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), a Secretaria de Estado do Ambiente do Rio de Janeiro (SEA) e o Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (FUNBIO). 

"O projeto nasceu após recebermos um grupo de visitantes do Colégio Estadual Mathias Neto, de Macaé, que era composto por deficientes. Eles ficaram encantados por estarem conhecendo a mata, mas ficavam limitados a entrar na trilha, já que ela não era acessível. Enfrentamos diversas dificuldades, mas conseguimos fazer com que ela fosse aprovada. Adaptamos a trilha para todos os tipos de deficiência, permitindo que essas pessoas possam interagir com o meio ambiente. Não é simplesmente uma caminhada. A partir de agora, essas pessoas vão poder conhecer a Mata Atlântica e, assim, levantar a bandeira do meio ambiente", explicou o chefe da REBIO União, Whitson José da Costa Junior, na época da inauguração.

O projeto foi submetido pela REBIO União à Câmara de Compensação Ambiental do estado do Rio de Janeiro, que o aprovou e financiou integralmente, destinando o valor de R$ 311.778,92 à iniciativa. Ao FUNBIO, parceiro da SEA na gestão dos recursos de compensações ambientais estaduais, coube a execução do projeto. 

Para sua elaboração, foram efetuadas consultas à legislação específica e bibliografias técnicas especializadas, realizando a busca de informações junto a instituições com trabalhos voltados às pessoas com  necessidades especiais, além de visita ao Jardim Sensorial do Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Contou, ainda, com a valiosa colaboração de profissionais do CREA/RJ, pessoas com deficiência da região e a equipe da REBIO União, notadamente a de educadores ambientais.

Autor: Marianna Fontes marifontes@odebateon.com.br

Foto: Wanderley Gil


    Compartilhe:

Tags: cidade, meio ambiente


publicidade