Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Sobrevoos complementam a proteção do Parque Jurubatiba

A unidade de conservação é apontada por especialistas como uma das mais bem preservadas do país

Em 19/12/2015 às 14h30


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

O monitoramento foi realizado em toda unidade de conservação localizada nos municípios de Macaé, Carapebus e Quissamã O monitoramento foi realizado em toda unidade de conservação localizada nos municípios de Macaé, Carapebus e Quissamã
Profissionais ligados à proteção do Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba realizaram na manhã de quinta-feira (17) mais um sobrevoo na unidade de conservação considerada o primeiro Parque Nacional a compreender, exclusivamente, o ecossistema de restinga mais bem preservado do país. Localizado nos municípios de Macaé (1%), Carapebus (34%) e Quissamã (65%), o Parque possui 44 km de praias, sendo 18 lagoas costeiras de rara beleza e de grande interesse ecológico. 
Participaram da ação profissionais do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (IMCbio), da Guarda Ambiental de Macaé, Carapebus e Quissamã, e também da Defesa Civil de Carapebus e Quissamã. 

Para o analista ambiental, Marcos César, além de ser importante por promover a integração entre os diversos órgãos em prol da unidade de conservação e a obtenção de informações úteis ao planejamento ambiental, a iniciativa tem como objetivo principal fazer um monitoramento da unidade de conservação.

"Essa atividade nos possibilita ter uma visão ampliada do Parque, a qual não seria possível por terra. E a avaliação que a gente faz após esse monitoramente é de que a unidade está bastante preservada, já que não observamos nenhuma irregularidade. Apesar de estarmos no período de defeso, não verificamos ações de pesca predatória no local, e isso é muito bom", disse. 
Marcos falou também do nível das lagoas. "As chuvas recentes foram suficientes para elevar o nível desses recursos hídricos, exceto da lagoa Ibatuba - localizada na Praia do Visgueiro, no município de Quissamã, que é sazonal. Outra coisa boa que a gente observou também foi a diminuição da presença de gados na unidade, tendo em vista que já registramos um número bastante elevado de bovinos no local", avaliou.  

Ainda segundo o analista ambiental, esses sobrevoos são realizados trimestralmente e fazem parte de Termo de Ajustamento de Conduta entre a Petrobras e o Ministério Público Federal, no qual a empresa se comprometeu a fornecer os sobrevoos em prol da unidade de conservação, entre outras ações. As atividades vêm sendo realizadas desde a assinatura do acordo em julho de 2011. 

"É importante lembrar que graças ao TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) assinado, diversas ações em prol do parque estão em andamento, e outras já foram realizadas como a construção do Centro de Visitantes, fornecimento de material didático de educação ambiental, os próprios sobrevoos e serviços de vigilância. Já a construção de uma Torre de Observação em Quissamã está em fase de conclusão das obras", disse. 

O Centro de Visitantes, localizado na unidade pertencente ao município de Macaé, está aberto ao público, e conta com área administrativa, auditório para 70 pessoas, lanchonetes, loja de souvenir, hall de exposições, guarita de vigilância, vestiários, sala para brigadistas e guarda ambiental, garagem para os carros e barcos da unidade, torre de observação de incêndios, ciclovia, estacionamento, quiosques e ambulatório. 

O inspetor da Guarda Ambiental de Macaé, Jailton de Oliveira Conceição, que também participou da atividade, destaca a importância. "Essa foi a primeira vez que tive a oportunidade de sobrevoar a unidade. Foi uma experiência maravilhosa. Eu sempre faço esse monitoramento  por terra, mas do alto dá para ter uma visão bem melhor. Por isso, sempre fui a favor do auxílio de uma aeronave", contou. 

Na imagem, o Canal Campos - Macaé que corta a unidade 

Autor: Juliane Reis Juliane@odebateon.com

Foto: Marianna Fontes


    Compartilhe:


publicidade