Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

ANP determina aumento na produção da Petrobras

De acordo com a ANP, a Petrobras tem que aumentar a produção do campo de Roncador, no pós-sal da Bacia de Campos

Em 21/01/2013 às 11h27


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Crescimento na produção fora dos planos iniciais da Petrobras pode representar gastos adicionais de R$ 10 bilhões Crescimento na produção fora dos planos iniciais da Petrobras pode representar gastos adicionais de R$ 10 bilhões
Após os dados divulgados pela Petrobras com relação ao aumento da produção, depois de um período de quedas, a Agência Nacional do Petróleo (ANP) apresentou uma determinação para que a estatal aumente os investimentos. De acordo com a ANP, a Petrobras tem que aumentar a produção do campo de Roncador, no pós-sal da Bacia de Campos. Esse crescimento na produção fora dos planos iniciais da Petrobras pode representar gastos adicionais de R$ 10 bilhões.

Em 2012, a ANP determinou à Petrobras a elaboração de um plano de aumento da produção em 11 áreas na Bacia de Campos, entre elas a de Roncador.

Em reunião no dia 7 de janeiro, a diretoria da ANP aprovou o Plano de Desenvolvimento (PD) da estatal para o campo, mas obrigou a empresa a cumprir 12 exigências, entre as quais a perfuração de nove poços (cinco em 2013 e quatro em 2014) e a instalação de uma nova plataforma produtora. Hoje, o Campo de Roncador tem quatro unidades. Segundo a ANP, é "clara a necessidade de mais do que as quatro plataformas previstas para o Campo de Roncador". Por isso, diz a agência, a Petrobras deve apresentar "estudos em 2013 para a instalação de uma nova unidade de produção, visando à maximização da produção".

Outra exigência para aumentar a produção é a instalação de um novo equipamento instalado no fundo do mar para elevar o escoamento de petróleo e gás (manifold) na P-52 até dezembro de 2014. Nos últimos anos, Roncador registrou queda de 27% em seu volume de produção.

Em nota divulgada à imprensa, a Petrobras informou que ainda não foi oficialmente comunicada sobre as exigências da ANP para Roncador. A estatal destacou, porém, que mantém os técnicos da ANP informados sobre toda a estratégia de desenvolvimento do campo. A empresa ressaltou que utiliza as práticas mais modernas para obter o máximo de recuperação da produção. E acrescentou que a avaliação de oportunidades de seus ativos de produção é permanente e que a aplicação de investimentos é sempre avaliada na revisão anual do Plano de Negócios da companhia.

Aumento da produção

A cada dia que passa a Bacia de Campos e Macaé, onde está baseada a Petrobras e a maioria das empresas ligadas à exploração de petróleo, acompanham o crescimento do setor. Porém, ao longo do ano passado, seguidas quedas diminuíram a produção. Mas, pelo segundo mês consecutivo, em novembro, o cenário mudou e a exploração de petróleo começou a se recuperar, segundo o último relatório divulgado pela ANP sobre o setor.

Nos campos brasileiros, a produção alcançou 2.045 milhões de barris de óleo por dia, uma redução de 6,6% na comparação com novembro do ano passado, porém apresenta um aumento de 1,7% em relação ao mês anterior, mostrando uma franca recuperação.

Com relação à produção de Gás Natural, houve um aumento substancial. A produção de gás natural no Brasil foi de aproximadamente 73,3 MMm³/d, configurando um novo recorde. Houve um aumento de cerca de 8,0% na produção de gás natural se comparada ao mesmo mês em 2011. 

Na produção de petróleo, a Bacia de Campos ainda mantém larga vantagem sobre as demais. No momento, a localidade representa 82,6% de toda a produção nacional. Uma redução substancial na hegemonia da região. 

A Bacia de Campos também está na frente das demais com relação ao gás. Com 37,8% do quadro geral da produção de gás no país, a bacia lidera com folga e ampliando a diferença. São produzidos diariamente 27.700 milhões de metros cúbicos. Esse número é maior que o dobro produzido pelo segundo campo, Santos, que gera 12.408 metros cúbicos por dia.

Ainda segundo dados da ANP, dos 30 maiores poços produtores do Brasil, 26 ficam na Bacia de Campos e somente quatro estão fora, na Bacia de Santos. O primeiro lugar na produção de petróleo em todo o país é o campo Lula, que fica na Bacia de Santos com 29.792 milhões de barris de óleo por dia. 

A produção do Pré-sal foi de 227,6 Mbbl/d de petróleo e 7,1MMm³/d de gás natural, totalizando 272,1 Mboe/d, aumento de 25,6% em relação ao mês passado. Esta produção foi oriunda de 15 poços: 6BRSA639ESS e 7JUB34HESS em Jubarte, 9BRSA716RJS, 3BRSA496RJS, 9BRSA908DRJS e 7LL3DRJS em Lula, 6BRSA806RJS em Caratinga e Barracuda, 6BRSA817RJS e 3BRSA1017DRJS em Marlim Leste, 6BRSA770DRJS em Marlim e Voador, 6BRSA752ARJS em Barracuda, e 7BAZ2ESS, 7BAZ3ESS, 7BAZ4ESS e 7BAZ6ESS em Baleia Azul;
Destaque para o início de produção de dois novos poços do pré-sal, 7JUB34HESS (Jubarte) e 3BRSA1017DRJS (Marlim Leste), com uma produção de 7,5 Mboe/d e 11,2 Mboe/d, respectivamente.


Autor: Douglas Chaves/ douglaschaves@odebateon.com.br

Foto: Arquivo


    Compartilhe:


publicidade