Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Como se prevenir de assaltos e abordagens quando se está a pé

Em 06/12/2010 às 12h30


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

É fundamental redobrar a atenção quanto à sua próp É fundamental redobrar a atenção quanto à sua próp
A partir de hoje o jornal O DEBATE dá dicas e estratégias para as pessoas com relação à segurança pessoal. As publicações ocorrerão durante todos os dias desta semana. 

De acordo com orientações das autoridades, subtenente Zoraia Braz, do 32º Batalhão da Polícia Militar, e coronel Edmilson Jório, coordenador do Gabinete de Gestão Integrada de Macaé (GGIM), é imprescindível ter noções básicas de segurança para evitar assaltos e outros tipos de crimes.

Como estamos em uma época de grande movimentação nas ruas, com muitas pessoas fazendo compras, os bandidos se aproveitam de oportunidades que poderiam ser evitadas. Para que isso não aconteça, Zoraia e Jório passam dicas importantes para quem anda a pé.

“Como todo final de ano, sabemos que ocorre uma incidência maior de delitos cometidos nas ruas, até mesmo pela grande intensidade da atividade comercial, então já sabendo que isso se repete todos os anos, queremos alertar a população e orientar quanto aos procedimentos”, disse Edmilson Jório.

Local de pouco movimento e má iluminação

De acordo com Zoraia, subtenente da PM, as pessoas não devem passar por lugares onde haja pouca movimentação e mal iluminados. Locais deste tipo facilitam e muito a atuação dos assaltantes. “Essas ruas de pouco movimento e iluminação, na medida do possivel, devem ser evitadas. Deve-se procurar um caminho alternativo, andar com atenção, olhar para todos os lados, quem está vindo depois e antes de você. 
Outra recomendação é não andar muito encostado nos muros. 

“Quando a pessoa anda muito próxima aos muros, é fácil para o ladrão encurralar a vítima na parede e cometer o delito. No caso de dobras de esquinas, a situação é a mesma. Não é recomendável virar muito junto da parede e sim fazer uma curva larga, abrindo mais o ângulo para entrar em outra rua”, explicou Zoraia. 

Segundo o coordenador do GGIM, Edmilson Jório, esta é uma orientação para ser seguida o ano inteiro, mas em especial nesta época. “Evitar locais desertos, passagens estreitas, obras e interrupções. Havendo este tipo de situação, procurar informar a unidade de polícia mais próxima sobre o determinado local de risco. Os policiais estão abertos a essas orientações, podendo até mesmo se deslocar”, disse.

Evitar expor objetos  de valor

Objetos chamativos e de valor atraem a atenção e podem ser grandes causas de roubos nas ruas. Relógios e joias muito caros não devem ser utilizados para passear durante uma simples compra, ida ao banco, ou qualquer outro tipo de tarefa que pode ser realizada a pé, porque o ladrão aproveita a vulnerabilidade da vítima. 

Segundo a subtenente, qualquer brecha dada ao assaltante pode se tornar perigoso demais. “Ele vai tentar a sorte se mostrarmos que temos coisas de valor. 

O recomendado é mostrar o contrário. “Se estivermos oferecendo pouca coisa que pode despertar interesse, é melhor. Se for para uma festa, tudo bem, mas no dia a dia tem que evitar para não ser alvo dos bandidos”, orientou

“A gente lamenta ter que dar este tipo de orientação porque é um prazer para a pessoa usar um objeto que ela se esforçou tanto para adquirir, mas a realidade neste fim de ano é que existe a intenção maior de roubo e por isso prevenir é a melhor solução”, informou o coronel Jório.

Evitar carregar grandes quantias de dinheiro

A ideia é não andar pela rua carregando uma grande quantidade de dinheiro em espécie. Esta é, sem dúvida, uma das maiores causas de assaltos nas ruas. “As pessoas têm que procurar a praticidade e dificultar ao máximo para esses meliantes. Hoje em dia é muito fácil fazer compras com cartões de débito e crédito, por isso, devem procurar sempre fazer os pagamentos desta forma”, disse.

Principalmente as pessoas que estiverem saindo do banco logo após o saque, devem ter uma atenção redobrada, porque são bem mais visadas por ladrões. “É a situação de risco mais evidente. O recomendável é procurar outras formas de pagamento, como cartões, por exemplo. Se não tiver outra opção, sair somente com a quantidade correta de dinheiro”, explicou o coordenador do GGIM.

À noite, procurar andar em grupos

Quando se anda em grupo inibe a ação de um ou dois elementos, porque quando estamos sozinhos a facilidade é maior, agora com mais pessoas se torna mais difícil e a pessoa se sente mais protegida. “Principalmente à noite, durante a saída das escolas, shoppings e outros locais de grande movimentação, é importante procurar estar sempre em grupo”, disse.

Caminhar em sentido contrário ao fluxo de veículos

O fato de andar no sentido contrário dos carros facilita a visão do pedestre, e caso tenha um veículo suspeito, tem como a pessoa avistar e tomar alguma atitude rapidamente. Quando o carro vem atrás, o perigo é muito maior e a chance de escapar de um assalto ou sequestro relâmpago é bem pequena. 

Ao evitar que alguém que esteja no interior de um automóvel o aborde pela retaguarda, evita-se a surpresa, que é o princípio básico do assaltante, surpreender a vítima, causando um nervosismo maior.

Manter bolsas e sacolas sempre junto de si

Evitar carregar muitos pacotes, nunca tenha as duas mãos ocupadas, e uma delas sempre junto à bolsa. É muito mais seguro e garantido manter sempre a bolsa ou mochila sobre a guarda de seus braços. “Essas dicas são fundamentais, principalmente para as mulheres, maiores vítimas deste tipo de roubo”, falou Zoraia.

Sendo seguido: atravesse a rua mudando de lado e vá para algum estabelecimento e  peça ajuda

Em caso de ser seguido por alguém, mantenha os passos rápidos e imediatamente procure um lugar seguro, como um estabelecimento comercial, caso não seja possível, a orientação é ligar para o 190, e passar as características da pessoa que o está seguindo.

Jório falou sobre como descobrir se está sendo seguido ou não. “Sempre devemos andar muito atentos para identificar a possibilidade de estar sendo seguido, e se estiver, procurar um local seguro. Quanto a técnica de atravessar, é uma forma de saber se está realmente em uma situação de risco.”

Evitar parar e dar informações em lugares escuros ou pouco movimentados

Se alguém tentar pará-lo com o intuito de pedir qualquer tipo de informação, e o lugar for deserto e escuro, não pare, continue o seu trajeto até chegar a um ponto mais iluminado, que haja pessoas por perto e que você se sinta mais seguro. “Se não conhece a pessoa, não sabe se a abordagem é de fato para pedir informação, o jeito é continuar andando. Na dúvida, tem que passar direto”, concluiu. 

“Queremos que a população fique mais cuidadosa e prevenida. É interessante que fique precavido, e desconfiando. É necessáro manter uma distância e procurar olhar sempre nos olhos do suspeito, porque assim, a pessoa transmite ao criminoso, uma sensação de segurança e acaba passando pra ele uma dúvida do que você é capaz ou não de fazer”, completou Jório.

Foto: Wanderley Gil


    Compartilhe:


publicidade