Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Empresa apresenta novo software para sistema de monitoramento

Em 04/12/2010 às 17h07


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

 O coordenador do GGIM, Coronel Edmilson Jório, fa O coordenador do GGIM, Coronel Edmilson Jório, fa
A empresa Telemática, responsável pelo planejamento e execução da instalação das câmeras de monitoramento que serão implantadas no município, apresentou um novo software durante uma reunião na manhã de ontem com o coordenador do Gabinete de Gestão Integrada, Coronel Edmilson Jório. 

O encontro foi realizado no próprio GGI, onde Jório esteve com dois engenheiros da organização.

De acordo com o coordenador, o novo software permite ter o alerta de uma situação, como um acidente, onde é necessário gerenciar várias informações ao mesmo tempo. “Durante um acidente que há a necessidade do apoio de uma ambulância, verifica-se o trânsito, além de uma série de itens capturados através do sistema de monitoramento, facilitando o acesso para que a viatura chegue mais rápido até a ocorrência. 

O programa faz uma análise, mostrando se o trânsito está livre ou congestionado, para orientar o socorro sobre a forma mais prática de chegar”, explicou.

Para que o programa disponibilize estas informações basta colocar todos os dados, como endereço, horário, tipo de ocorrência e o software toma as decisões automaticamente, mostrando sempre o melhor caminho a ser percorrido.

 “Outro fato importante é que, quando houver um acidente que necessite da ajuda do Corpo de Bombeiros e ambulâncias, até mesmo detalhes de como a vítima se encontra podem ser passados aos socorristas, fazendo com que os médicos se desloquem já tendo a orientação prévia do procedimento que terá de ser realizado”, ressaltou. 
O serviço ainda não está contratado e nem dentro do pacote do projeto. 

“Em fevereiro, durante uma reunião do GGI, estaremos com todo o equipamento instalado e haverá uma apresentação para todos os envolvidos no projeto, onde uma demonstração do software, funcionando dentro da sala de operações, será feita. Após a apresentação, será feita uma avaliação sobre a possibilidade deste novo programa integrar o sistema”, completa.

Ainda segundo o coronel Edmilson Jório, o software foi feito para atuar em cidades de médio a grande porte, mas isto não significa que ele não possa operar em Macaé. 

“Embora tenha sido projetado para cidades de grande movimentação e num primeiro momento não se aplicar a Macaé, já é interessante pensar na possibilidade de adotá-lo, porque a expectativa é de que o município continue crescendo e, quando este momento chegar, já estaremos habilitados”, completou.

Autor: Vanêssa Cunha | vanessa@odebateon.com.br

Foto: Wanderley Gil


    Compartilhe:


publicidade