Cadastre-se e receba nossas novidades:

19/02/2018 às 12h29m

Carnaval político

Quando o calendário apontou a quarta-feira de cinzas com o fim do Carnaval, muitas pessoas, principalmente empresários, respiraram fundo e pensaram: "Bem, agora sim, começamos o ano de 2018". Mas, será que é assim mesmo? Se de um lado, o Carnaval acabou com pelo menos duas escolas de samba que desfilaram na Marquês de Sapucaí arrebatando o título de campeã e vice pelas críticas feitas aos governos e personagens políticas, deliberadamente esquecendo as mazelas do PT que originou toda a crise com o "mensalão" e o "petrolão" (não se viu nenhuma referência a nenhuma figura petista ou entidades ligadas), de outro lado, os políticos estavam em plena atividade buscando alternativas para também desfilar.

E, como nos dois meses seguintes, vai haver a "dança das cadeiras", quando os candidatos que desejam ser reeleitos vão procurar um partido para que se torne mais fácil a reeleição, os eleitores que não são bobos, começam a receber mensagens dos "salvadores da pátria", com promessas que todos estão cansados de ouvir. Até a mais antiga delas de "Mais Água para Macaé", vai estar na comissão de frente para "encher as caixas d´água e fazer jorrar nas torneiras o precioso líquido das comunidades periféricas", as que mais sofrem com o dilema que não é novo, por sinal, é mais velho do que muita gente possa imaginar.

Além do mais, já se observa na corrida eleitoral deste ano, mais uma vez, o carnaval político, hora de quem é candidato a deputado federal, convidar um vereador, suplente ou até líder comunitário, mesmo que não tenha muita expressão, para ser candidato a deputado estadual. No caso, esta alternativa serve apenas para que o postulante a federal, tenha um cabo eleitoral em cada cidade. O que devemos fazer, é pensar bastante, e trabalhar para que o município não fique sem representação na Assembleia ou na Câmara dos Deputados. A caça aos votos, já começou.


Lembrar não custa nada

Cabe às lideranças mais sérias, alertar para o perigo que ronda a cidade. Quando em 2010 o doutor foi eleito deputado federal pelo PV, sigla que garantiu ao candidato a seriedade das propostas de mudanças que não ocorreram como prometido, garantiu a volta como absoluto para governar a cidade. Mas... é uma história longa e difícil de contar porque são muitos os fatos em que os correligionários foram transformados em adversários e, por sua vez, estes ganharam (?) a confiança do chefe. Em 2014, quando houve eleições para eleição de Dilma Rousseff, Pezão, e outros, o doutor arquitetou um plano mirabolante. Tratou, igual vai fazer agora, de incentivar diversas candidaturas a deputado estadual e a federal (e por trás dos panos apoiava os federais que queria), se lixando para que Macaé não tivesse representação na Assembleia e na Câmara dos Deputados que pudessem incomodá-lo, já que ele mirava a reeleição para a prefeitura.

Deu um pouco de sorte porque atingiu seu objetivo, e um azar grande, porque não conseguiu "derrubar" Christino Áureo, que eleito, continua com grandes planos para melhorar a cidade. Depois de desprezar o Partido Verde (PV) que deu a ele a notoriedade desejada, abandonou os companheiros de luta do Partido dos Trabalhadores que o ajudaram, e foi alojar sua esperança no PMDB, como presidente da Comissão Provisória. Até agora, aliado de Eduardo Cunha, Sérgio Cabral, Paulo Melo, ao ver a "vaca indo para o brejo" (todos estão presos), e com medo do seu possível envolvimento nas falcatruas da Odebrecht, acabou até com o Carnaval do povo eliminando de uma vez por todas o desfile das escolas de samba. Será que, temeroso de virar enredo de alguma delas? Bem, vamos ficando por aqui. Mas tem muita história para lembrar. Muita história cabeluda que, no transcurso da campanha, as redes sociais, com certeza, vão registrar. Olho vivo.


PONTADAS

O suplente de deputado estadual Chico Machado, que chegou a assumir o cargo, disse que não está "sumido" e sim, fazendo peregrinação por vários municípios, mantendo as amizades que deixou no lastro de sua campanha em 2014. Ele ainda não garantiu sua filiação partidária mas aguarda a "janela" que vai ser aberta para escolher um partido que possa garantir sua adesão.

________  

O médico e vereador Márcio Bittencourt, eleito e tornado líder do PMDB na Câmara de Vereadores, poderá ser expulso do partido e deixar a liderança do governo. Ao ouvir o galo cantar, ele tratou de alinhar-se com caciques do PSB e poderá, se conseguir incluir seu nome na lista de candidatos a deputado estadual, disputar também uma vaga na Alerj. Ou vai ou racha.

_______ 

Um grupo de empresários ligados a várias instituições sérias, cansados de esperar por promessas políticas que nunca são cumpridas, decidiu arregaçar as mangas e trabalhar paralelamente para buscar alternativas de preparar um planejamento estratégico sério, para preparar Macaé para o futuro. Se a Rede Globo lançou a campanha "O Brasil que eu quero", por aqui, poderá ser a "Macaé que queremos para o futuro". A conferir.

Autor: Oscar Pires

Tags relacionadas:

    Compartilhe:


15/02/2018 às 12h10m

Enfim, Carnaval...

Foto Wanderley Gil/ Carnaval 2012
Bem, como os dias de folia durante o período carnavalesco devem ser animados, Macaé vem vivendo tempos de decadência até cultural. Não são poucas as reclamações do povão que, igual a tempos passados, se postava na avenida ou nas arquibancadas, de preferência próximo ao palanque oficial para estar perto das autoridades principais, para ver blocos e escolas de samba desfilarem, arrebatando aplausos e fazendo a alegria de todos. As pessoas se sentiam felizes. Sempre foi assim e durante algum tempo, no governo do ex-prefeito Claudio Moacyr, além da Rainha do Carnaval, tinha também o Rei Momo - quem dos mais antigos não lembra de Agenor Pinheiro com apelido de Pingo que ao passar nos corredores da prefeitura era ovacionado - desfilando alegre na abertura do Carnaval quando as agremiações se apresentavam para o povão na Avenida Rui Barbosa a partir da Praça Veríssimo de Mello até a Praça Washington Luiz?

A disputa entre as três principais escolas - Acadêmicos da Aroeira que tinha o então vereador Malvino Orbílio de Lima à frente e Peron como Carnavalesco, a Princesinha do Atlântico liderada por Joel Cruz e seus diretores e Birinha ou Sérgio Cordeiro abrilhantando o enredo, a Império da Barra... Gente, os ensaios nas quadras eram disputadíssimos e também as apresentações e os enredos eram maravilhosos. Pena que depois de Sylvio Lopes, a alegria do povo acabou. O sucessor Riverton preferia adiar a festa de Momo para se unir a Neguinho da Beija Flor e, depois, fazia uma festa para ele mesmo, mas fazia. Agora, "esquecer" de incentivar as escolas de samba e deixar o povo infeliz, em vez de alegre, é coisa mesmo de doutor. E nas discussões para debater a morte do carnaval macaense, não faltam críticas, principalmente de pessoas ligadas à Cultura que, também, anda à míngua na terra macaense.

Bem, tem alguns tentando contar estórias que não estão lá muito corretas para "inventar o carnaval de rua em Macaé". Pura balela. Ainda existe muita gente viva que não tem memória curta e, basta reunir um grupo para discutir e a história real flui numa naturalidade alegre, tão alegre, que não tem hora para acabar. Como o espaço é curto, vamos parafrasear um sambinha: "Quem não gosta de samba, bom sujeito não é. É ruim da cabeça, e doente do pé"...  

E antes do Carnaval, surpresas

Na semana que antecedeu o Carnaval, foram muitas as surpresas em todos os níveis. Na economia, o Banco Central diminuiu a taxa Selic para 6,75%. No judiciário, a presidente do Supremo Tribunal Federal disse que não vai pautar para mudar a decisão de prender o apenado após ser julgado em segunda instância, o que leva a crer que o ex-presidente Lula deve mesmo ir para o xilindró, tanto que Fernando Haddad deu entrevista a Roberto D´Avila na Globo News.

O ministro Luiz Fux assumiu a presidência do Tribunal Superior Eleitoral e foi taxativo. Quem tiver ficha suja, ou seja, foi julgado por um colegiado e apenado, não poderá registrar a candidatura, tirando do PT a expectativa de Lula concorrer sub judice. A Procuradoria Regional Eleitoral, abriu outro processo contra o ex-governador Garotinho porque ele declarou no seu site e faceboock que vai ser candidato a governador e vai ter de comprar muitos candidatos ou, se eleito, os parlamentares para governar. Incurso em crime eleitoral por campanha extemporânea, também já virou ficha suja. Fernando Henrique Cardoso, "gentilmente" deixa Geraldo Alckmin de lado e embarca na canoa de Luciano Huck. Alckmin dá o troco e afirma que se eleito vai privatizar a Petrobras. O presidente Michel Temer vai passar o Carnaval em Marambaia com uma comitiva de 60 pessoas que depois da grita geral diminuiu para 40.

O ministro Gilmar Mendes concede liberdade para o ex-secretário de Saúde do Rio, Sérgio Cortes, e agora, igual aos Barata, Eike Batista e outros, vão passar o Carnaval em casa. Enfim, é tanta coisa acontecendo ao mesmo tempo e em período tão curto que, aqueles que não acompanham o noticiário não entendem nada. Agora, falta o ex-governador Sérgio Cabral ser libertado ou mandado de volta ao presídio de Benfica para ficar comandando o grupo de Picciani, Paulo Melo e Albertassi e formar um bloco de Carnaval. Por aqui, já tem políticos antigos rodando para serem cabos eleitorais de candidatos a deputado federal apenas para "medir" a preferência dos eleitores que estão de "saco cheio". Enfim, foi uma semana agitada e, quem disse que durante o plantão de Carnaval não poderão acontecer outras surpresas? Salve-se quem puder.


PONTADAS

Quarta-feira, durante a reunião da Comissão Municipal da Firjan, com a presença de mais de 20 empresários representando várias instituições, a surpresa ficou por conta de Gilson Coelho, que anunciou a retomada da economia na área de óleo e gás até o final do ano. Ele acredita que o desemprego vai cair para a casa de um dígito. Todos estão empenhados na retomada das negociações e a "pressão" está sento feita em Brasília.

_______ 

Gilson Coelho também vai ser o portador de manifesto das instituições - Firjan, IADC, Associação Comercial, Sindicatos, Rede Petro e outras, pedindo urgência nas obras de infraestrutura e conclusão das obras do Aeroporto de Macaé (na lista para ser privatizado), duplicação dos 46 quilômetros da BR-101, e construção do Porto, fundamentais para acabar com os gargalos que atrapalham o crescimento da cidade.

_______ 

Como a semana começa com o Carnaval e Macaé não vai ter muitas opções para os foliões, tem muita gente que já arrumou as malas e partiu para o bairro chic de Macaé - Armação de Búzios, onde grandes empresários, profissionais liberais, políticos e até o prefeito tem casa. Na pauta principal para os festejos de Momo, o desfile do Geriboi (ou Boi de Geribá), onde a turma se encontra e faz sucesso.

Autor: Oscar Pires

Tags relacionadas:

    Compartilhe:


05/02/2018 às 17h24m

Políticos e Justiça

Não é de hoje - e bota tempo nisso - que a classe política, de modo geral, prefere entender que pode tudo mas esquece que, acima deles, políticos, está a lei, gestada e promulgada pelas casas legislativas, Senado, Câmara dos Deputados, Assembleias Legislativas e Câmara de Vereadores, e pelos executivos.

Os representantes de partidos no Poder Legislativo, ao serem eleitos, ganham imunidade parlamentar, ou seja, não podem ser presos durante o exercício do cargo, e o foro privilegiado - só podem ser julgados por Cortes superiores - excetuando essa situação os vereadores que têm direito apenas a inviolabilidade no exercício do cargo, porém, sem o benefício do foro, que na briga do Senado e Câmara com o Supremo Tribunal Federal, os dois poderes não chegam ao denominador comum.

De um lado, o STF desde o momento que viu abuso no benefício para autoproteção dos políticos ameaçou extinguir o foro privilegiado para muitas situações, apenas porque, abarrotado com tantos processos incapazes de irem a julgamento, o STF provocado pelo ministro Luiz Alberto Barroso, colocou em cheque acabar com a regalia, processo que está parado, apesar de ter a maioria dos votos, pelo pedido de vista do ministro Dias Toffoli. De outro lado, o poder legislativo procrastina, empurra com a barriga, a tramitação do projeto, ganhando tempo, enquanto os prazos dos políticos envolvidos em ações no STF, vão prescrevendo e ficam a salvo de uma possível pena.

Com a penalização de Lula em segunda instância, o que o deixa inelegível para as próximas eleições, e ameaçado de prisão após acabar o prazo do único recurso da defesa, não só os advogados como algumas "lideranças políticas", não perderam tempo e, há muito, vêm desafiando a Justiça não só pela mídia, como em discursos inflamados para a militância, prometendo possíveis mortes, desobediência civil e luta nas ruas. Ora, o que todos os brasileiros desejam, é ordem e progresso. Já chega de ameaças. Vamos cumprir a lei. Não foi à toa que a ministra Carmen Lúcia, presidente do STF, e a Procuradora Geral, Raquel Dodge, foram duras nos recados aos políticos condenando os maus exemplos, na abertura dos trabalhos do Judiciário. 


Repercussão negativa

E se não bastassem as surpresas que vêm deixando as pessoas incrédulas, com operações policiais e judiciais pipocando por esse Brasil afora, Macaé, conhecida no mundo como Capital Nacional do Petróleo, posto que já começa a perder desde que o campo de Libra no pré-sal começa a ultrapassar os recordes de produção de óleo e gás, mesmo antes da crise mundial que abalou todas as estruturas das empresas e órgãos públicos que não souberam fazer o dever de casa, parece que continua no ápice dos maus exemplos.

Não de agora, mas desde o governo anterior a 2013, a cidade já estava bastante conhecida por causa dos gastos perdulários não só com os royalties mas, também, com ações malévolas que não foram exemplos a serem seguidos por qualquer pessoa que buscasse por aqui uma referência para uma gestão eficaz e séria. Com a permitida invasão de áreas públicas e particulares, a periferia da cidade em todos os lados continua crescendo e só quem não enxerga é o governo municipal. Evidente que isso representa voto nas eleições, mas... é o erro crasso de qualquer administrador.

Com a ocupação pelo tráfico e milicianos nas comunidades, e o governo federal, estadual e municipal, sem ter nenhum planejamento e capacidade para garantir a segurança, a cidade vira palco, vez por outra, em cenas de guerra como as ocorridas recentemente no Lagomar que se estendeu por toda a cidade, exigindo operações especiais da Polícia Militar para sufocar os confrontos enquanto Macaé se tornava a "cidade do medo". Não bastasse isso, o prefeito por sua vez, vem enfrentando e desafiando a Justiça e por isso já responde a vários inquéritos e ações não só de improbidade, como de outros crimes.

A que mais estarreceu foi a delação de um diretor da Odebrecht, afirmando que deu grana, dinheiro, fora do caixa dois de campanha, para alguns personagens do governo, denúncia que dorme em alguma gaveta e ninguém sabe o resultado das investigações. Agora, para "pipocar" de vez e ganhar o país, a denúncia do MPF de que o prefeito está supostamente envolvido com o chefe da Delegacia da Polícia Federal que acabou indicado para a superintendência mas não foi nomeado. É triste ver a cidade ganhar a mídia no Brasil, com personagens principais dando maus exemplos. Chega de repercussão negativa.


PONTADAS

O suplente de deputado estadual e ex-vereador Chico Machado, aguarda o fim de fevereiro para voltar a ocupar a suplência na Assembleia Legislativa pretendendo concorrer à reeleição. Ele diz que não está parado e sim percorrendo o Estado fazendo alianças para, desta vez, figurar como parlamentar efetivo. A alguns mais chegados, ele diz que "vem mais bomba por aí". A conferir.

________   

Para os macaenses, principalmente, é triste o quadro quando o clima muda e a chuva cai com intensidade, às vezes nem tanto. A cidade vira um mar em muitos pontos e ninguém sabe como se safar das dificuldades. E dizer que apenas na Macrodrenagem a Odebrecht e a Zadar cobraram mais de R$ 277 milhões (tem os aditivos que podem levar o custo para R$ 400 milhões), e o resultado foi quase nenhum. O governo atual continua na mesma linha.

_______ 

Dois casos que tiram o sono de quem acompanha as ações do governo municipal e, com certeza, de alguns vereadores e... até do Ministério Público Estadual e Federal. Por que até hoje não foi aprovada a CPI para investigar o contrato da SIT com a prefeitura e, também, o caso da coleta de lixo que, parece, é um serviço prestado que custa bem mais caro do que deveria. Será que vai ter solução?

Autor: Oscar Pires

Tags relacionadas:

    Compartilhe:


29/01/2018 às 17h19m

Carta fora do baralho?

A população acompanhou com grande expectativa, o julgamento do recurso de Lula pelo Tribunal Regional de Justiça, TRF-4, em Porto Alegre, ficando atenta a todos os movimentos relacionados ao caso. Lula, condenado a pouco mais de 9 anos por lavagem de dinheiro, entre outros crimes, no caso do Tríplex em Guarujá, além de, junto com seus companheiros,  bombardear a Justiça de acusações, algumas ameaçadoras, na véspera, chegou de jatinho a Porto Alegre, fez um discurso ameno para os militantes do MST e da CUT - o mais contundente deles foi o de Pedro Stédile - e voltou para São Paulo para acompanhar o desenrolar do julgamento.

Porto Alegre não virou praça de guerra, mas estava preparada para isso, se algum fato grave ocorresse. Porém, o que de mais grave aconteceu, foi a decisão dos três desembargadores que, por unanimidade, além de manter a pena aplicada pelo juiz Sérgio Moro, aumentou para 12 anos e um mês, o que, definitivamente, tira de Lula a possibilidade de ser candidato a Presidente da República, porque agora ele ficou enquadrado na Lei da Ficha Limpa, projeto de iniciativa popular mas sancionada por ele em 2010.

A única esperança seriam outros recursos se houvesse um voto divergente, o que não aconteceu e, embora os seguidores petistas continuem inflamados, já se discute o plano B, antes não admitido, e as preferências recaem sobre o ex-governador da Bahia, Jacques Wagner, que prefere disputar o Senado para ter foro privilegiado, uma vez que Geddel Vieira Lima está preso. Resta, então, o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, ex-ministro da Educação.

Todos os bons juristas e cientistas políticos já admitem que Lula é uma carta fora do baralho e ele promete ir para as ruas, praticando a desobediência civil, até que o recurso de embargo de declaração seja concluído. Feito isso, se outra anormalidade não houver, a Corte já decidiu que, a prisão em regime fechado deve ser cumprida, se por acaso o STF não encontrar um "jeitinho" para mudar a regra a fim de beneficiá-lo. A conferir, nos próximos dias.


Não está fácil...

Como se os macaenses vivessem na terra do medo e infelizes, quem é habituado a acompanhar pelo faceboock ou outros canais da rede social, hoje mais rápidas do que um raio, as representações políticas, ou seja, partidos que são comandados com mão de ferro por comissões provisórias, fazem ouvido de mercador e deixam por conta do Ministério Público Estadual ou Federal, a apuração de denúncias sobre malfeitos na administração.

Como esses órgãos agem mais apenas quando são provocados, a representação política fica devendo aos eleitores ações que possam demonstrar mais credibilidade e moralidade. São muitas as denúncias na rede social repercutidas, mas... a passividade como são tratados os casos, demonstra que não há ânimo para reverter a situação. Diplomaticamente o prefeito vem agindo como se fossem suas as iniciativas de combate à corrupção e outros malfeitos, como no caso do dinheiro do Fundo Municipal de Trânsito da Mobilidade Urbana, que, segundo informações, "desapareceu", além de outros casos que envolvem nomeações em cargos comissionados de valor elevado (ou jeton), que suspeita-se, eram repartidos.

O vereador Prestes foi afastado do mandato porque houve denúncia da prática nefasta, atingindo também a Secretaria de Esportes e tantas outras. Ainda, a suspeita do subsídio da passagem para a SIT que não tem fiscalização. Se não bastassem essas poucas suspeitas, e a denúncia do próprio prefeito de irregularidades no caso do lixo em que ele pede ao Ministério Público Federal e Estadual, e também à Polícia Federal que investiguem.

Tudo bem, mas paralelamente ao marketing do Executivo, os vereadores se sentem impotentes para tomar qualquer iniciativa porque, eles mesmo admitem, o esquema do toma lá dá cá funciona e satisfaz primeiro a pessoa envolvida, que não pensa na população que reclama, reclama, reclama... e nada, restando apenas aos jornais e emissoras de rádio, além dos próprios canais da rede social na internet, reverberar e reivindicar em nome dos moradores de norte a sul e de leste a oeste da cidade. Macaé, na expressão de algumas pessoas que acompanham de perto o desenrolar dos episódios esperando que 2020 chegue rápido, enxergam uma cidade com ar de abandono e seus cidadãos tristes, infelizes, a não ser uma casta da cúpula. Ah, que saudade da Macaé feliz...


PONTADAS

Ainda Lula. Quem acompanha a militância política, principalmente a que segue Lula, observa que a cada dia diminui o número deles nas manifestações. Em seu artigo, quinta-feira, Ricardo Rangel comentou que: "Olhando para a frente, Lula está acabado. Tancredo Neves dizia que político acompanha o cortejo fúnebre até o fim, mas não entra na sepultura junto com o defunto".

_______

Mais um ano em que, a esta altura dos acontecimentos, blocos, bois pintadinhos, escolas de samba, escolha do Rei Momo e Rainha do Carnaval, em época passada estariam fazendo a alegria do povo, não tem sequer opção de ânimo e viajam. É mais um ano que não haverá desfiles das escolas de samba e blocos que poderiam se apresentar em alguma avenida. Mas... dizem que, "quem não gosta de samba, bom sujeito não é. É ruim da cabeça, ou doente do pé".

_______ 

A Associação Comercial e Industrial de Macaé, que reformou sua fachada acompanhando as mudanças dos lay out das lojas, principalmente no Calçadão, lamenta o abandono de todo o trecho. O presidente Antonio Severino dos Santos, pretende enviar ofício ao prefeito, solicitando a revitalização do local e evitar a passagem de viaturas e bicicletas, colocando ordem onde começa a imperar a desordem.

Autor: Oscar Pires

Tags relacionadas:

    Compartilhe:


22/01/2018 às 18h15m

Medos e ameaças

A grande mídia assim chamada pelos blogueiros de plantão e canais que apoiam o ex-presidente Lula que terá seu julgamento em segunda instância em Porto Alegre dia 24, vem movimentando os meios políticos, cada qual emitindo opiniões das mais diversas para um mesmo caso. Ou seja, condenado na Operação Lava Jato por vários crimes a 9 anos e meio pelo juiz Sérgio Moro, cabe agora ao TRF-4, em Porto Alegre, rever a sentença que pode levar Lula a ser absolvido, situação bastante difícil, segundo alguns especialistas, ou manter e aumentar a pena, na opinião de outros.

Se o Tribunal mantiver a condenação e até ampliá-la, Lula ficará impedido de concorrer ao cargo de Presidente da República porque estará incurso na Lei da Ficha Limpa. Como caberá recursos em qualquer decisão, o jogo de xadrez na Justiça vai continuar. A expectativa do julgamento é maior do que se imagina a ponto de o Tribunal ter decidido transmitir ao vivo pelo canal do Youtube, e quarta-feira, 24, será um dia longo para a história. Mas enquanto isso não acontece, a tropa petista continua fazendo barulho por todos os lados e até ameaças, como a da Senadora Gleisi Hoffman e do Senador Lindberg Farias, que ocupam todos os espaços possíveis na mídia para provocar a sociedade que pretende viver na paz de Deus.

Mas não satisfeito com o bombardeio de acusações e ameaças, fazendo campanha antecipada pelo interior do país, o ex-presidente Lula, em discurso no encontro realizado no Rio de Janeiro com alguns artistas, foi fortemente crítico aos meios de comunicação e reclamou, principalmente, da revista Veja, afirmando que, caso seja eleito, fará uma "regulação dos meios de comunicação" no país.

Ele já disse, mais de uma vez, que se eleito, também vai mandar prender alguns que o acusam. De medo e ameaças, a população já está farta. O que ela quer, é a recuperação econômica, as reformas necessárias para colocar o país na linha e voltar a ter credibilidade. Um povo minimamente feliz, é o que todos desejam e os exemplos do PT no governo não foram nada bons. 

De chefe de Estado a chefe de cadeia

Como a maioria dos políticos que nos últimos 20 anos vem enriquecendo cada vez mais e sem limites, não acreditando na Justiça, o PMDB de Jorge Picciani, Sergio Cabral, Eduardo Cunha e outros notáveis, para ficar apenas no território fluminense, a sociedade vem buscando alternativas de eleger o novo, ou novos políticos, para substituir os 81 senadores, 513 deputados federais, 70 estaduais e de quebra, governadores já que os prefeitos só poderão ser julgados pelos eleitores em 2020, que já não está muito distante.

Quem de nós, pobres eleitores, poderia imaginar que o ex-governador Sérgio Cabral, cercado de "babadores" por todos os lados, e por empresários que aproveitaram a oportunidade para não só ficarem ricos demais, e por cima, ajudar os políticos a ficarem mais ricos, poderia estar na lista da Operação Lava Jato? Quem poderia imaginar, que hoje estaríamos assistindo a cenas degradantes de prisões dos principais líderes políticos, como Eduardo Cunha, Jorge Picciani, Paulo Mello e tantos outros, para citar apenas alguns?

Pois é. Depois de uma audiência com o juiz Marcelo Bretas, o ex-governador demonstrou no depoimento que sabia mais da vida do magistrado do que qualquer outro e a reação foi imediata. Solicitada sua transferência para um presídio federal, o ministro Gilmar Mendes não surpreendeu ninguém mas, soltou os Baratas e manteve Cabral em Benfica, com todas as regalias.

De tanto cantar de galo e as imagens e investigações demonstrarem que ele vivia uma vida de "rei", ou de "chefe", a repercussão tomou vulto e o que decidiram os promotores, a juíza carioca Caroline Vieira e Sérgio Moro? Como na cadeia não pode haver regalias e os agentes penitenciários estavam participando do esquema e recebendo ordens do "chefe", decidiram mandar Cabral para Curitiba cumprir as penas que passam dos 100 anos, levando o promotor Mateus Picanço Pinaud, do Grupo de Atuação Especializada em Segurança Pública do MP-RJ a afirmar: "Cabral foi chefe de estado, não será chefe de cadeia".  Enquanto isso, seu filho Marco Antonio Cabral estava em pré-campanha cumprindo agenda com prefeitos e vereadores do PMDB em São José de Ubá, Aperibé, Santo Antônio de Pádua e Campos. Com certeza, "amarrando acordos futuros". Macaé não estava na agenda. Que futuro?


PONTADAS 

O ministro dos Esportes, Leonardo Picciani, resolveu aparecer e admitiu que pode ser um dos candidatos ao governo do Estado, afirmando que o PMDB não apoia a candidatura de Eduardo Paes, caso ele decida sair do partido. Como a disputa política parece ser uma "briga de cachorro grande", tem muita água para correr por baixo da ponte. Mas o povo quer mudar, mudar e, mudar...

_______  

E por falar em mudar, o partido Novo (30), com perfil liberal, acreditando no valor fundamental das liberdades individuais, incluindo direitos e deveres, já tem um pré-candidato em potencial para o governo do Estado do Rio. Bernardinho do Vôlei, já filiado e realizando palestras para montar o time. O Novo pretende eleger deputados federais e estaduais. Em Macaé já tem uma célula funcionando.

________

Há quanto tempo este jornal vem alertando para algumas incoerências relacionadas ao processo do lixo e o alto valor pago pelo serviço de coleta? Agora, parece que a prefeitura resolveu denunciar (?) o caso ao Ministério Público Federal, à Polícia Federal e ao Ministério Público Estadual. Vai ver, procurando direitinho, embaixo do angu, tem carne. Como será a novela?

Autor: Oscar Pires

Tags relacionadas:

    Compartilhe:


15/01/2018 às 14h38m

Fazer o quê?

Como o "governo da mudança" não mudou nada para melhor, e sim para pior, a população tem utilizado as redes sociais para abrir fogo contra as mazelas denunciadas, principalmente chamando a atenção pelo fato do enfrentamento à Justiça e ao Ministério Público, que queiramos ou não, deveriam ser respeitados pelo governo mas... Fica difícil acreditar que o município não avança exatamente porque a sociedade pouco representada na administração municipal, não encontra eco nas suas reivindicações e Macaé continua sendo desconstruída e perdendo sua identidade.

Nas reuniões de entidades, instituições diversas e nos bastidores do próprio governo, o que se ouve é apenas o lamento de pessoas aliadas ou não, criticar duramente a gestão que parece não ter planejamento para fazer a cidade crescer. Citar caso a caso, nem o espaço na web seria capaz de suportar as estórias que são demasiadamente complexas, se comparadas ao programa de governo feito na primeira gestão. Sabemos que não é fácil governar. Pior, ainda, quando uma crise política, econômica e social, além da moral, sob efeito cascata, atinge os municípios que, sem exceção, não encontram alternativas para olhar o futuro.

Todos sabem que existe luz no fim do túnel e que Macaé, ao longo de todo esse tempo, foi o único em toda a extensão do território brasileiro, que não sofreu com o problema de arrecadação, sempre em torno de R$ 2 bilhões por ano, o que significa, apenas em cinco anos, algo em torno de mais de R$ 10 bilhões. A pergunta que não quer calar é: "o que foi feito com tanto dinheiro?". Agora mesmo, com mais um triste episódio em que traficantes e polícia deixaram um enorme rastro de insegurança, parece que o governo municipal, agora filiado ao PMDB de Pezão, entendeu de demonstrar que tudo é culpa do governo do Estado. Você aí,  concorda?  

BR 101, pressa na duplicação

A duplicação da BR-101, trecho que vai de Niterói à divisa do Estado do Espírito Santo, que tem como concessionária a Autopista Fluminense, sempre foi fundamental para acabar com a imagem de "rodovia da morte", devido aos milhares de acidentes com vítimas fatais. Desde o início dos trabalhos do trecho ligando Rio Bonito a Campos, a empresa vem enfrentando uma série de dificuldades para colocar o planejamento em dia, mas o projeto esbarra nos órgãos de proteção ao meio ambiente.

Embora uma grande parte da rodovia já tenha sido liberada para os veículos, diminuindo significativamente o número de acidentes com vítimas fatais, o trecho mais complexo que impacta diretamente o município de Macaé - de Rio Dourado até o trevo dos 40 - continua em pista simples, onde continua ocorrendo a maioria dos acidentes.

Quando a Representação Norte Fluminense da Firjan, convidou os diretores da Autopista Fluminense, representantes da mobilidade no Estado do Rio e da ANTT, para realizar uma reunião com os empresários na sede do Senai em Macaé a fim de dar informações atuais sobre o projeto, cresceu o interesse dos dirigentes da Associação Comercial e Industrial de Macaé, presidida por Antonio Severino dos Santos, da Comissão Municipal da Firjan, Evandro Cunha, do CVB Macaé Guilherme Abreu e Vitor Silva, da Rede Petro que, após a palestra entregaram ofício ao diretor da Autopista Fluminense, reivindicando a possibilidade de que as obras nos 46 quilômetros restantes, fossem iniciadas  a partir de Rio Dourado até o trevo da estrada Macaé-Glicério.

Tem razão o presidente da Associação Comercial e todos apoiaram a iniciativa porque começa exatamente no trevo de Rio Dourado a pista simples que se transformou no principal gargalo e dificuldades para aqueles que viajam diretamente para Macaé, ainda sem a pista do aeroporto em condições de voos comerciais. A ideia foi levada em consideração e agora espera-se que, duplicando primeiro este trecho, os usuários da BR-101 possam ter mais segurança nas viagens aos grandes centros.


PONTADAS

Tem secretário do governo sugerindo à Câmara Municipal que tome a iniciativa de apresentar projeto de lei - o que só é permitido pelo Executivo - criando taxas de ocupação do espaço público em áreas da praia e ambulantes. Os vendedores de água de coco, as pessoas de academias que utilizam a praia para exercícios físicos e até estabelecimentos comerciais, ficaram furiosos. O prefeito, disse não.­­

_______ 

De modo geral, a população ainda está traumatizada com a "guerra de facções" com a polícia em que no rastro ficaram pelo caminho mortos e feridos numa operação que não tem data para acabar. Com a morte de um policial, vai ficar mais difícil para as gangues ficarem em paz, até que o autor ou autores do assassinato do cabo PM, sejam presos ou "entregues".

_______

O ano mal começou e muita gente já começa a fazer planos para breves férias. Carnaval, prazo de filiação partidária, Copa do Mundo, eleições... "Você tem todo o direito de não gostar de política, mas sua vida terá influência e será governada por aqueles que gostam. Portanto, o castigo dos bons que não fazem política é ser governado pelos maus que a fazem". (Platão).

Autor: Oscar Pires

Tags relacionadas:

    Compartilhe:


07/01/2018 às 08h40m

Macaé da virada

Gerente geral da Unidade Operacional da Bacia de C
Desde o mês de agosto, quando este jornal iniciou com um evento a celebração dos 40 anos da Bacia de Campos, reunindo o gerente geral da Unidade Operacional da Bacia de Campos, Marcelo Batalha, autoridades, e representantes da sociedade civil organizada, foi aberto o caminho para nutrir de esperança ainda maior, a autoestima dos empresários e da população, ávida em deixar para trás as agruras da crise que abalou a todos.

A sequência, foi uma série de ações da própria Petrobras e dos empresários ligados a indústria do petróleo e gás, com a realização das licitações tão esperadas e que começaram a movimentar a economia. A Petrobras, ao anunciar as empresas vencedoras e, também, seu plano de negócios até 2022, com a recuperação plena da exploração e produção, continuou injetando otimismo.

Além de ações visando a recuperação de todo seu potencial, a estatal vem ganhando fôlego anunciando que pelos próximos 40 ou 50 anos, Macaé continuará a ser a Capital Nacional de Petróleo, ratificando a informação de que nunca a empresa sairá de Macaé, colocando fim nos boatos que rondavam as conversas dos mais desavisados. E, para coroar de êxito todas as ações de recuperação da economia, a EBTE, que adquiriu o projeto de construção do TEPOR - Terminal Portuário do Barreto, anunciou que Macaé contará com a operação de um novo porto. Foi no dia 14 de dezembro que Macaé ganhou um presente antecipado de Natal, quando os diretores da EBTE, apresentaram ao prefeito, a viabilidade técnica do projeto atualizado do Tepor (Terminal Portuário de Macaé), considerado um marco para a nova fase de prosperidade e de desenvolvimento de Macaé.

O Diretor da EBTE, Fabiano Crespo, disse na ocasião, que: "O Tepor vem complementar tudo o que Macaé já possui para a dinâmica do petróleo, tudo o que a Petrobras construiu aqui e tudo que as outras grandes empresas também contribuíram para a evolução do mercado". E, para coroar de êxito o planejamento da EBTE, a Aneel já liberou a licença de construção de duas usinas termoelétricas no Clima, projeto que integra com a construção da rodovia Transportuária, todo o complexo do empreendimento que vai abrir o caminho da Macaé do futuro. Feliz ano novo.

Tempo de mudança?

A primeira semana do ano demonstra que as boas notícias que vão mexer com a economia local e manter Macaé no patamar das cidades mais importantes do Estado e do país, mostram que a sociedade continua no firme propósito de mudar, também, o quadro político.

Ninguém aguenta mais conviver no dia a dia com a série de informações pipocando não só nas redes sociais, mas, também, nas grandes e conceituadas mídias, o triste retrato que leva o eleitor e a população em geral, a desejar mudanças porque não se vê representada nos poderes executivo e legislativo, principalmente depois que foi iniciada a Operação Lava-Jato, levando ao protagonismo de crimes diversos, não só o Presidente da República, como senadores, deputados federais e estaduais, governadores, vereadores, órgãos públicos.

Há pouco tempo, o jornalista José Casado em opinião em O Globo, informou que: "Manter 513 deputados e 81 senadores custa R$ 10,4 bilhões por ano à sociedade. É um volume de dinheiro cinco vezes maior que o disponível em uma capital como Maceió, onde vivem um milhão de alagoanos com suas rotineiras agruras nos serviços públicos em educação, saúde, saneamento e segurança. Na conta final, essa folga no Congresso custa R$ 110 milhões aos contribuintes, segundo a ONG Contas Abertas".

E mais, continua ele: "emprego de parlamentar federal é coisa fina: remuneração de R$ 33,7 mil, mais R$ 100 mil mensais extras para o gabinete, casa, carro, motorista e plano de saúde exclusivo. Em tese, exige-se presença de terça a quinta na capital do país. Dá direito a duas férias por ano, e o calendário ajuda. O feriadão de dez dias acontece cinco semanas do recesso de verão que começa na semana do Natal e se estende até sexta-feira pré-carnaval. Depois da folia, tem-se quatro paradas para celebrações cívico e religiosas.

Até junho, época das convenções para definição de candidatos às eleições gerais - e ainda tem as festas juninas. Depois, é só campanha. Para quem procura um bom emprego no setor público, pode ser uma boa opção. O Congresso vai abrir 567 vagas em 2018.  A dificuldade é que cada candidato novato precisa disputar com deputados e senadores veteranos - famintos de votos, porque perder a eleição sempre foi o seu pior pesadelo". 


PONTADAS

Nas redes sociais, canal que cada pessoa se sente no direito de expressar sua opinião, pipocam não só vídeos, como também áudios e fotos, com denúncias estarrecedoras do que acontece nos bastidores de órgãos diversos da prefeitura. Mesmo com as autoridades fiscalizando com maior intensidade, são muitos os episódios de corrupção e outras falcatruas que atingem secretarias. Exemplo de cima?

_______

Como vem sendo observado, o Chefe do Poder Executivo continua teimando e enfrentando a Justiça e as decisões do Ministério Público. Uma delas, a mais recente, é a postergação de colocar o trem na linha, ou seja, as duas composições do VLT que custaram R$ 15 milhões continuam na linha mas, paradas, depreciando a cada dia, depois de perder R$ milhões não devolvidos pela Bom Sinal.

_______ 

Em tempo de férias e aguardando o fim do recesso para reassumir como suplente a vaga de deputado estadual, o ex-vereador Chico Machado pode trocar de partido na janela que se abre em março. Não descansa e tem percorrido vários municípios do Estado. Ele diz que vem apenas reforçando as amizades que fez durante a campanha passada, com esperança de voltar como titular do cargo.

Autor: Oscar Pires

Tags relacionadas:

    Compartilhe:


04/01/2018 às 15h24m

Tempo de virada

Estamos, na prática, no limiar do novo ano. Oportunidade em que todas as pessoas renovam suas promessas de mudar hábitos de vida, praticar exercícios para melhorar a saúde, parar de fumar ou de beber, enfim, de todas as ações que, no ano que se encerra, não deram resultados.

É o momento da esperança, é o extravasar da alegria que toma conta das pessoas que, em qualquer nível, se reúnem para fazer uma confraternização na expectativa de que tudo vai melhorar no ano novo. Sim, cada um festeja do jeito que mais gosta, da maneira que mais lhe convém, que sonha as diferenças para melhor do ano velho que fica para trás e que não pretende repetir os erros no ano novo que começa.

E nós aqui, cumprindo nosso papel há mais de 41 anos, também vamos renovando nossas esperanças. Enfrentando a crise que ainda atinge vários setores, ainda causando o desemprego, apesar das boas notícias de que Macaé vai continuar sendo, por mais 40 anos pelo menos, como revelou o gerente geral da Bacia de Campos, Marcelo Medalha, a Capital Nacional do Petróleo. Será tempo suficiente para que os políticos, os detentores de cargos públicos e as instituições, junto com a sociedade civil organizada, igual a Noruega ou outros países exemplares, criem de imediato um fundo para economizar os recursos dos royalties a serem utilizados de maneira que possam dotar o município de infraestrutura capaz de proporcionar aos cidadãos que pagam em dia seus altos impostos, melhores condições de vida, com melhor atendimento nas áreas de saúde, educação, transporte, meio ambiente, completar o serviço de dotar a cidade de esgotamento sanitário que, igual ao abastecimento d´água, vai ficando na promessa. Que não haja aumentos absurdos no IPTU e outras taxas municipais para a vida do cidadão ficar melhor.

Cooperação científica

Há alguns dias este jornal registrou em suas páginas, uma informação que pode não ter chamado muito a atenção de alguns, mas vale a pena, principalmente os poderes públicos, conhecerem o projeto do Acordo de Cooperação Científica e estudantil estabelecida entre a UFRJ, através do NUPEM - Núcleo em Economia e Desenvolvimento Socio-Ambiental de Macaé, e a Universidade de Stavanger, da Noruega, que objetiva garantir investimentos nas pesquisas realizadas pelo NUPEM/UFRJ.

A proposta é avançar em pesquisas na área das ciências ambientais e tecnologia, buscando para isso a integração acadêmica entre Brasil e Noruega e beneficiando dessa forma, toda a comunidade científica participante, através da troca de experiências e saberes com colaboradores de outras nacionalidades em prol do desenvolvimento científico. O atual diretor do NUPEM, Professor Rodrigo Nunes da Fonseca, um dos componentes do grupo de pesquisadores que está visitando a Universidade de Stavanger, destaca que esta parceria é um momento importante de internacionalização da ciência brasileira, como destacado pela CAPES em seu Programa Institucional de Internalização.

Além de cursos em conjunto na área ambiental, o objetivo é realizar um futuro programa de pós-graduação em conjunto, ou seja, Macaé-CCS trabalhando pela internacionalização da Ciência Brasileira. O professor Rodrigo que está na Holanda e que, com alguns pesquisadores, passou uma semana na Noruega, informa que a colaboração bem estabelecida já tem agora seis professores da UFRJ na Noruega estabelecendo colaborações de pesquisa na cadeia do petróleo.

Durante o encontro, ficou acertado que haverá cursos inverno/verão em Macaé e em Stavanger contando com alunos macaenses e noruegueses e, no período de 10 dias, terão cursos em inglês sobre Biodiversidade, Economia Verde, Impacto Socioambiental da cadeia de petróleo e, importante frisar, todo o projeto é financiado com dinheiro norueguês dos royalties do petróleo, incluindo as visitas dos pesquisadores brasileiros.

_______

Devido à crise econômica, social e política, este final de ano não foi igual a muitos que passaram. As festas de confraternização, principalmente em grandes empresas, foram minimizadas e o que se viu foi a economia dando lugar à fartura. Muitos preferiram em grupo, fazer campanhas junto às comunidades carentes, distribuindo kits de brinquedos e cesta básica.

_______

Agora, aqui para nós. Em plena véspera de Natal, os motoristas da SIT que fazem o transporte coletivo urbano, paralisar as atividades porque as empresas não tinham dinheiro para pagar o 13º salário... Nem as pequenas empresas que sofrem com a crise, deixaram de se endividar  para este compromisso. Agora, logo a SIT? Deve ter sido pressão para receber os subsídios da prefeitura...  E é.

_______

Este ano não vai ser igual àquele que passou. Parece que a prefeitura decidiu, mesmo modestamente, realizar os festejos do Réveillon na Praia dos Cavaleiros, como ocorria nos tempos em que os políticos que comandavam o município tinham o prazer de ver o povo feliz, fazendo a festa. Hoje, não tanto quanto, espera-se que a confraternização universal, seja de alegria.

Autor: Oscar Pires

Tags relacionadas:

    Compartilhe:


27/12/2017 às 15h48m

Presentes de Natal de ministros...

Esta semana, quando o Poder Judiciário entrou em recesso e, a partir do quarta-feira (20), quando todas as empresas pagavam a segunda parcela do 13º salário, fazendo o dever de casa, mesmo endividadas, em Brasília, a ilha da fantasia, algumas decisões beneficiaram grande número de malfeitores presos ou respondendo a processos, alguns ministros fizeram a festa dos dois lados. Primeiro, foi o ministro Edson Fachin, determinando a prisão do deputado Paulo Maluf, com 86 anos, em regime fechado, declarando também a perda do mandato, fato que levou muitos a aplaudir, enfim, uma decisão acertada da Justiça. Depois, aconteceu o inverso.

O ministro Gilmar Mendes, da segunda turma do STF, mandou para casa passar o Natal a mulher de Sergio Cabral, Adriana Ancelmo. Em outras decisões anteriores, soltou os Baratas, e assessores de Sérgio Cabral, além de proibir conduções coercitivas, aquela que o acusado ou suspeito é levado apenas para prestar depoimento enquanto uma operação se desenvolve, o que pode levar a força-tarefa a pedir mais prisões temporárias, o que é pior para muitos.

Ainda, numa semana cheia de surpresas, o plenário do Supremo Tribunal Federal tirou do juiz federal Sérgio Moro a investigação do chamado "quadrilhão do PMDB", e o ministro Luis  Roberto Barroso, enviou para a primeira instância um processo do deputado federal Rogério Marinho (PSDB-RN), acusado de dar um "rombo" na Câmara Municipal de Natal, quando foi presidente, retirando dele o foro privilegiado.

Mas, para não dizer que não falaram de flores, como presidente do Tribunal Superior Eleitoral também em recesso, o ministro Gilmar Mendes, mandou Garotinho para Rosinha. Ou seja, determinou a soltura do ex-governador que vai passar o Natal com a família, quem sabe, aprontando mais algumas? Bem, o ano não acabou, estamos apenas no Natal. Falta ainda uma semana para muitos episódios surpreendentes. Fique de olho na telinha do celular ou na televisão e, Feliz Natal.

E em Macaé?

Também nossa cidade andou sacudida este mês de dezembro por vários fatos que prometem uma previsão otimista quanto ao futuro dos empresários que passaram os últimos três anos, pelo menos, de cabelos em pé, por causa da crise política, econômica e social. No dia 13, no auditório do SESI, o gerente geral da Unidade Operacional da Bacia de Campos, divulgou novas metas para tirar a Petrobras do buraco e, a partir de 2018, os ventos começam a soprar a favor do município, da região e do Estado. Com vultosos investimentos e novos contratos sendo assinados com grandes empresas, a cidade começa, de novo, a respirar.

De outro lado, o Terminal Portuário de São José do Barreto, agora tendo como líder do grupo EBTE o empresário Fabiano Crespo, também ganhou fôlego e já dá passos largos para sua concretização. O prefeito foi o primeiro a receber as informações em seu gabinete com empresários e assessores. A obra, com novo layout já desenhado, aguarda apenas a renovação da licença para ser iniciada o que pode acontecer a partir de 2018 e, também, construir a rodovia Transportuária, que vai tirar do Centro o trânsito pesado, uma vez que o prefeito prometeu para janeiro o início das obras da estrada de Santa Teresa. Enquanto isso, o grupo empresarial conseguiu vencer o leilão para construção da termoelétrica Vale Azul II, no Clima, abrindo perspectivas de um avanço sem precedentes na história de Macaé.

Mas, se de um lado, as notícias são auspiciosas, de outro, a história do município fica mais uma vez manchada com a decisão do MP pedir o afastamento de um vereador que, segundo o prefeito, estava aliado com um secretário e assessores, dividindo grana do salário recebido. Isso vai ser uma história grande e como o judiciário entrou em recesso, o desdobramento só se dará a partir de janeiro. Puxa, a cidade não poderia encerrar o ano com "chave de ouro"?

PONTADAS

O ex-presidente Lula, perdeu em primeira instância a ação que moveu contra o procurador Deltan Dallagnol, coordenador da Lava Jato, por causa de um gráfico exibido por ele em setembro de 2016, apresentando Lula como "comandante máximo" do esquema de corrupção na Petrobras, por meio de um gráfico. Lula quer R$ 1 milhão por danos morais. A defesa vai recorrer.

________  

Enquanto isso os servidores do Estado que ainda não receberam o 13º salário de 2016, continuavam na penúria, enquanto o governador Pezão prometia pagar a todos até quarta-feira passada, o que não aconteceu, levando muitos funcionários a recorrerem ao famoso empréstimo consignado que, como uma praga, suga todo o dinheiro do servidor público e aposentados.

________   

Também o presidente Michel Temer, que continua com baixa nas pesquisas, recebeu um "passe" de um homem que se apresenta como Pai Uzêda, durante a convenção do PMDB que agora volta a utilizar o mesmo nome da legenda quando se opunha à ditadura: MDB. Pai Uzêda disse que Temer está sendo vítima de "muita macumba" com trabalhos para matá-lo e, por isso ficou doente. Fala sério...


Feliz Natal e, até domingo.

Autor: Oscar Pires

Tags relacionadas:

    Compartilhe:


19/12/2017 às 14h33m

Perspectivas futuras

Esta semana que antecede as festas de confraternização de fim de ano e a outra do réveillon, deixou os empresários mais otimistas com uma série de informações aguardadas há tanto tempo e que agora vai se transformando em realidade, embora o lado político não tenha contribuído tanto para que acontecesse. As pessoas, ao tomarem conhecimento, de forma não tão rápida, de projetos que começam a sair do papel, demonstram estar mais otimistas com o futuro da cidade que, transformada em Capital Nacional do Petróleo e que viveu bons tempos de bonança, volta a ter uma recuperação gradual mas pavimentando o caminho que abre um leque de ações capazes de, a curto, médio e longo prazo, voltar a crescer.

Principal município do Estado por estarem aqui sediadas todas as unidades da Petrobras e bases das empresas ligadas à indústria de óleo e gás, Macaé ganhou informações importantes divulgadas em evento realizado no Sesi quarta-feira (13), quando o gerente geral da Unidade Operacional da Bacia de Campos, Marcelo Batalha, falando para uma plateia ávida de informações que lotou o auditório, atendendo convite da Rede Petro, Associação Comercial, Firjan, e outras, foi claro e anunciou o planejamento da empresa para os próximos anos, afirmando que Macaé continuará sendo palco das principais bases econômicas no Estado do Rio e, consequentemente no país, de investimentos bilionários e que a indústria do petróleo e gás viverá um novo boom nos próximos 40 anos, como afirmou também o presidente da Petrobras, Pedro Parente, que visitou não só as unidades sediadas no município, assim como uma das plataformas, confirmando os planos da empresa ao prefeito municipal.

Alex Murteira, gerente de logística da empresa, também confirmou dados que abrem perspectivas para novos projetos. O retorno das atividades da UO-Rio que, transferida para a capital, esvaziou um pouco o cenário econômico, volta com força total. Também, no dia seguinte (14), o grupo da EBTE, tendo à frente o empresário Fabiano Crespo, fez a apresentação do novo projeto do TEPOR, Terminal Portuário que será construído em São José do Barreto, após passar por algumas alterações exigidas pelos órgãos do governo e agora caminha firme para, em 2022, estar consolidado, abrindo mais empregos. Boas notícias para um fim de ano e limiar de ano novo cheio de esperanças.

Renovação política

Quem, dos mortais, que vive a crise provocada por atos danosos à economia do país provocando um debate em toda o país atingindo seriamente a população que, segundo o IBGE, deixou mais de 14 milhões de brasileiros sem emprego, famílias desabrigadas e apavoradas com o cenário da corrupção na qual são atores principais políticos em todas as esferas, não gostaria de uma reação mais rápida do cenário. Empresários, doleiros e uma série de acusados que em efeito cascata começa no governo federal, atingindo o governo estadual e de municípios em todo o país, estão sendo investigados mas, por terem ótimas bancas de advogados e muitos gozarem de foro privilegiado, tentam escapar da Justiça que, como muitos pensam, não é cega.

Não é à toa que nas redes sociais, diariamente, pipocam informações que deixam muitos "carecas de cabelo em pé", e quando anunciadas as operações que investigam atos de corrupção, uma erva daninha que plantada em Brasília semeou o país, os principais envolvidos, principalmente os da classe política e empresários "bem-sucedidos", ainda tentam de todas as maneiras evitar a prisão. Pois bem, com a crise atingindo as famílias que não tiveram opção e ainda estão em busca de oportunidades, um dos recados que disseminou nas redes sociais é a revolta da população contra os políticos que na prática não representam e não atendem aos anseios do povo.

As tão necessárias reformas política, econômica, previdenciária e tantas outras para colocar o país nos trilhos, não andam no Congresso porque os políticos, pensando somente em manter o status quo, esquecem que o Brasil existe. O chamado baixo clero do Congresso Nacional só vive o clima do toma lá dá cá. Por isso, uma campanha que ganha força para não renovar os mandatos dos vereadores, prefeitos, deputados estaduais e federais, governadores e senadores já se tornou febre nas redes sociais. Como falta menos de um ano para as eleições, todos estão de olhos e ouvidos atentos, em busca de opção, mas... do novo, a única esperança de um povo sofrido e que não enxerga alternativa nas atuais lideranças.

PONTADAS 

Não se sabe porque um município com orçamento anual de R$ 2 bilhões e que arrecada até mais gerando superávit, ainda tem problemas sérios de esgotamento sanitário, de abastecimento de água, de iluminação pública, de saúde, de transporte, e tantos outros, continua quase a uma situação de abandono, principalmente quando se trata de bairros da periferia, praticamente abandonados.

________ 

Como a EBTE, responsável pela construção do futuro porto em São José do Barreto, anunciou que vai construir a rodovia Transportuária, ligando aquele ponto até ao complexo empresarial do Clima, o prefeito anunciou, também, que em janeiro de 2018 vai iniciar a construção da Estrada de Santa Teresa, principal via para tirar do Centro o transporte pesado. Tomara que assim seja.

_______ 

Um vereador - tomara que não seja apenas marketing - apresentou e viu aprovado na Câmara Municipal, requerimento pleiteando que a remuneração dos vereadores seja igual à do professor, hoje em torno de R$ 2.980,00. Como o autor tem de convencer os membros da Mesa Diretora, embora a ideia seja ótima, será uma luta inglória porque ninguém quer largar o osso.

Autor: Oscar Pires

Tags relacionadas:

    Compartilhe: